RADIO WEB JUAZEIRO : BABÁ RECUPERA R$ 1,6 PERDIDOS NO METRÔ DE SP

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

BABÁ RECUPERA R$ 1,6 PERDIDOS NO METRÔ DE SP

'Me fez acreditar no ser humano', diz babá que recuperou bolsa com R$ 1,6 mil no Metrô de SP

Passageiro encontrou objeto perdido na escada rolante do Butantã e levou até Achados e Perdidos, na Sé. Bolsa guardava salário de R$ 1,6 mil dentro.

Por Vivian Reis, G1 São Paulo
 
Babá Roseane Brasiliano da Silva, de 44 anos, disse que voltou a acreditar na bondade do ser humano depois que um anônimo encontrou sua bolsa com o salário de R$ 1.600 na estação Butantã e devolveu no Achados e Perdidos da estação da Sé (Foto: Divulgação/Metrô)


A babá Roseane Brasiliano da Silva, de 44 anos, disse ao G1 nesta quinta-feira (2) que voltou a acreditar na bondade do ser humano depois que um anônimo encontrou sua bolsa com o salário de R$ 1.600 na estação Butantã, na Zona Oeste de São Paulo, e atravessou a cidade para deixa-la na Central de Achados e Perdidos, na Sé, no Centro da cidade.

“Agradeço muito a essa pessoa, que sequer sei se é homem ou mulher. Tem coração bom. Espero que ela seja muito feliz”, desejou Rose. “Aconteceram tantas coisas ruins na minha vida, e agora essa pessoa me fez acreditar novamente no ser humano”, disse.

Rose saiu da casa da família onde trabalha, na Rua Treze de Maio, na região central de São Paulo, por volta das 17 horas do dia 9 de janeiro com o salário na bolsa. Ela seguia para o município de Cotia, na Grande São Paulo, onde mora com o marido e dois dos três filhos, utilizando as linhas 2-Verde e 4-Amarela do Metrô e um ônibus que sai do Terminal Butantã.

Na saída da estação Butantã para o terminal de ônibus, notou o sumiço da bolsa que estava em seu ombro e se desesperou. “Fiquei muito nervosa, chorando, desesperada. Eu estava tão desnorteada, que em um momento pensei ter saído da estação quando ainda estava nela”, contou.

O dinheiro serviria para ajudar nas contas de casa, no aluguel da casa onde a filha mora, no pagamento de um tratamento dentário e em uma das parcelas de uma geladeira comprada a prazo.

A babá disse ter sido auxiliada por seguranças da estação, que refizeram com ela o trajeto pelos três lances de escadas rolantes até a plataforma, sem sinal do acessório. Até receber a ligação do Metrô, a babá pensou ter sido roubada.

Rose tomou o ônibus de volta para casa com R$ 5,70 recebidos por um dos seguranças da estação Butantã. “Chorei o tempo todo, desde o momento em que perdi a bolsa até a manhã do dia seguinte, preocupada sobre como pagaria as contas”, disse.

A equipe da Central de Achados e Perdidos levou 12 dias para localizar a babá, que não tem celular e não tinha documentos na bolsa. Rose foi encontrada através do cartão Bom, que também estava na bolsa, junto a maquiagem, um par de brincos, remédios e uma bolsinha de moedas.

Ela teve a boa notícia à noite e foi ao trabalho na manhã do dia seguinte pedir que os patrões a liberassem para ir até a estação da Sé, onde o anônimo deixou sua bolsa.

Rose posa com bolsa e salário recuperados junto a parte da equipe do setor de Achados e Perdidos do Metrô (Foto: Divulgação/Metrô)

Balanço
O Metrô de São Paulo informa que a Central de Achados e Perdidos recebeu 81 mil objetos em 2016. Destes, mais de 18 mil itens foram devolvidos aos proprietários.

Do total de pertences perdidos, 63% são documentos e 37% objetos diversos, como carteiras, peças de roupa e celulares. Também já foram esquecidos cadeiras de rodas, espada, carrinho de bebê, colchão, vestido de noiva, bicicletas, penico, narguilé, fogão, carrinho de pedreiro, uma urna funerária, próteses dentárias, próteses de pernas e, mais recentemente, um olho de silicone.

Os objetos recebidos permanecem na CAP por dois meses e, se não forem procurados, são encaminhados ao Fundo de Solidariedade do governo do estado de São Paulo. Lá, o objeto pode ser leiloado ou encaminhado a instituições de caridade. Já os documentos são enviados aos órgãos emissores.

Em caso de perda no Metrô de objeto com identificação, o usuário deve ligar para a central de atendimento do órgão no número 0800-770 7722, de segunda a sexta-feira das 5h30 às 23h30. Caso não haja qualquer identificação no objetico perdido, é preciso ir à Central de Achados e Perdidos do Metrô, na Estação Sé, de segunda a sexta-feira das 7h às 20h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

ORTHO100

ORTHO100
.