RADIO WEB JUAZEIRO : CASO BEATRIZ MOTA. DR. SANGUINETTI VOLTA A OPINAR E DEIXA VÁRIAS PERGUNTAS PARA AS AUTORIDADES

quinta-feira, 16 de março de 2017

CASO BEATRIZ MOTA. DR. SANGUINETTI VOLTA A OPINAR E DEIXA VÁRIAS PERGUNTAS PARA AS AUTORIDADES

A coletiva hoje do delegado que apura o homicídio da menor Beatriz.
Resultado de imagem para george sanguinetti

Qual o resultado das investigações policiais. Quem matou a menor Beatriz? Qual o motivo do crime hediondo? Por que foram desferidas quarenta e duas (42 ) facadas na criança? Como foi possível esta ocorrência, no interior do colégio, durante uma festa, com os pais, familiares, professores, amigos, presentes? Como Beatriz acompanhou ou se deixou levar, para o depósito de material esportivo desativado? Como o autor ou autores sabiam da existência do depósito isolado? Qual a rota de fuga e a evasão, ensanguentados, as vestes, mãos, braços, sem chamar a atenção? Como sabiam que não seriam percebidos por câmeras de segurança? A quem interessava ferir, agredir tanto aos pais? Quem lucraria com a morte?

Ao tomar conhecimento da entrevista coletiva de hoje, quarta-feira, por parte da autoridade policial, faço as perguntas acima, que necessitam de respostas há mais de noventa dias.

Ofereço para reflexão da autoridade:
1. Analisando mais de doze (12)fotografias da cena da morte violenta, observo manchas de sangue compatíveis com pegadas, próxima da vítima. Eram de sapato? Solado de couro ou borracha? Alguma particularidade? Eram de sandálias? Qual o tamanho do pé?

2.O corpo encontrava-se em decúbito lateral direito; com tamanha brutalidade forma um ângulo semelhante a noventa (90) graus. Observa-se rotação no membro, inferior direito compatível com luxação da articulação coxo-femural. Consequência da força viva dos golpes ou evidência de pancadas por ação direta? Havia equimoses ou hematomas em locais não atingidos pela arma branca que a feriu? Chama atenção a articulação antebraço-mão direita, em ângulo de noventa grau. Transportando a contribuição das fotografias para computação gráfica, há evidência de luxação ou fratura. Decorreu de ação direta, pancadas, ou acomodação final do corpo?

3. Foi divulgado que a polícia tinha obtido DNA. Só se for da vítima. Para ser do agressor ou agressores, só se tivessem sofrido ferimentos pela faca, ao desferir os golpes. Mesmo que obtidos de cabelos (pelos), quer do folículo piloso ou mitocondrial, teria que se estabelecer nexo de causalidade.

Pedi acesso ao Promotor, dos laudos periciais. Se o caso estiver sendo esclarecido, não há necessidade de minha contribuição. Se for esperar meses por nada, é melhor para a Justiça permitir o acesso, para mim e para Professores de Medicina Legal e Criminalística que se dispuserem a ajudar.

George Sanguinetti

ORTHO100

ORTHO100
.