RADIO WEB JUAZEIRO : CASO BEATRIZ MOTA - UM DOS MAIS COMPETENTES PERITOS CRIMINAIS DO BRASIL DÁ SUA OPINIÃO SOBRE OS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS

PARA VOTAR NA RADIO, CLIQUE AQUI

.

.

VOCE ACHA QUE TEMER VAI

quinta-feira, 16 de março de 2017

CASO BEATRIZ MOTA - UM DOS MAIS COMPETENTES PERITOS CRIMINAIS DO BRASIL DÁ SUA OPINIÃO SOBRE OS ÚLTIMOS ACONTECIMENTOS

Resultado de imagem para BEATRIZ MOTA
Beatriz Mota

Resultado de imagem para george sanguinetti
  Dr. George Sanguinetti


A Polícia não sabe quem matou a menina Beatriz, em Petrolina. Encontrou uma imagem, de filmagem, de um suspeito. E pede, mais uma vez, ajuda da comunidade, para encontra-lo. Uma satisfação a sociedade pelo tempo decorrido? Necessidade de mostrar que resolveu o bárbaro homicídio? Não resolveu.

Tomo conhecimento, nesta data, que houve afirmações que já se sabe, quem matou barbaramente a menor, no interior do Colégio, durante uma festa de formatura. Divulgaram que agora tem toda dinâmica do crime.

Seria muito bom, se fosse verdade.

A reportagem cita que: " a Polícia tem imagens que revela a face do autor do crime.Uma quando ele pega a faca do crime , coloca na perna e segue em direção da escola.Ficou duas horas na frente do colégio, atuando com fosse flanelinha. Passou horas esperando a diplomação para entrar, pois seria a hora oportuna para pegar qualquer criança."

Para existir culpa tem que haver materialidade. Há. O corpo da menina com quarenta e duas perfurações de faca,sem vida. E tem que haver provas de autoria. Tem que haver nexo de causalidade, se provar que o suspeito, esteve no local do crime, que há vestígios, indícios consistentes de autoria. Não há.

Existindo fragilidades de provas e de outros elementos seguros de convicção, a melhor solução é reconhecer o non liquet. Neste caso há inexistência de indícios suficientes de autoria e sem demonstração cabal de culpa provada,in dubio pro reo, prevalece a inocência. E não foi nem localizado o desconhecido.

As alegações, as imagens que a comunidade vai procurar e ser gratificada se encontrar, a hipotética faca nas pernas, antes de entrar no colégio, não tem consistência. Mostra o desejo da Polícia em elucidar. Só isto. Decorridos um ano e quatro meses.

Acusar de autoria de crime, só com provas que conduzem a uma certeza. Alta probabilidade de autoria de crime, serve como fundamento para absolvição.
( Da prova no Processo Penal, 1994, Desembargador Camargo Aranha, A.J.Q.T.)