RADIO WEB JUAZEIRO : COMANDANTE DA 76ª CPJ, AVALIA ASSALTOS CONTRA AGÊNCIAS BANCÁRIAS

PARA VOTAR NA RADIO, CLIQUE AQUI

.

.

VOCE ACHA QUE TEMER VAI

quinta-feira, 30 de março de 2017

COMANDANTE DA 76ª CPJ, AVALIA ASSALTOS CONTRA AGÊNCIAS BANCÁRIAS

“Essa violência nas agências bancárias é uma epidemia no pais”, avalia Comandante da 76ª Companhia de Polícia em Juazeiro


Ação Popular (AP)

O Comandante 76ª da Policia Militar de Juazeiro, Iulo Lins Silva, fez uma avaliação das atividades realizadas. De acordo com ele, a Companhia é interligada também a 73ª que atualmente atende 18 bairros, se estendendo da Maringá até o bairro São Geraldo.


“Todas as agências financeiras, bancos, estádio, percurso carnaval, órgãos públicos ficam situados nas áreas da 73ª, portanto dividimos esta área em 3 setores e em cada setor temos um policiamento próprio: da Banca até a Maringá chamamos de setor 2; da banca até a Adolfo Viana chamamos de setor 1 e o setor 3 da Adolfo Viana até o bairro São Geraldo. As atividades são muito intensas, principalmente nos finais de semanas em decorrência da quantidade de eventos”.

“Temos alguns bairros que dão mais trabalho com o índice de criminalidade, a exemplo, do Novo Encontro, Penha, Alto da Maravilha, entre outros. Mais estamos trabalhando 24h para coibir isso. Outro problema também é a quantidade de carros com paredões na cidade que constantemente ficam fazendo badernas, mais estamos atentos a isso e para coibir a prática contamos com a ajuda do Ministério Público, da Secretária de Ordem Pública e da Policia Civil, quem estiver com som ligado fora do que for permitido o som é apreendido e levado para SEMAOP”, acrescentou.

Sobre a quantidade do efetivo, ele explicou. “Sabemos que a quantidade do efetivo em qualquer área ou órgão público é muito carente, mais a gente atende as necessidades. Quando a carga horária esgota a gente entra com hora extra, quem trabalha no administrativo em alguns momentos a gente coloca no serviço operacional, têm os motorizados, os motociclistas, ciclístico, a pé e o policiamento de permanência. Vamos trabalhando com o que temos”.


Seguranças de bancos e comércio

Questionado se existe alguma equipe preparada para enfrentar algum problema de grande porte, a exemplo, assaltos a bancos. “Essa violência nas agências bancárias é uma epidemia no pais, isso acontece em todos os lugares. Em Juazeiro, em cada unidade temos um pelotão especial que é preparado para fazer a frente dessas situações, além disso, contamos com o apoio da Rondesp, inclusive a sede fica próximo ao Banco do Brasil. Nosso policiamento permanece 24h e temos também o apoio das outras companhias, a exemplo, da Cipe Caatinga, Legionários e a GRAE. Posso garantir que Juazeiro é uma cidade segura”.

Sobre a instalação de uma base da GRAE em Juazeiro, ele disse que o projeto está em andamento. “Isso é um projeto do Comando Geral do Governo do Estado da Bahia, isso ainda será viabilizado”. Iulo ressaltou ainda sobre o trabalho que do Coronel Alfredo. “Ele é de Salvador e vem tendo uma preocupação com a nossa cidade, quando tem algum homicídio fica angustiado. Ele desenvolveu um programa ‘Norte para Todos’ que vem dando certo aqui na região e nas demais cidades, Juazeiro foi à cidade que mais reduziu a quantidade de homicídio na Bahia”.


“Já estamos no final de março e nesta área diminuiu em 58% o número de homicídios em relação aos outros anos. Há uma preocupação geral muito grande para evitar o homicídio, além das ações operacionais, nós temos trabalho social: temos um setor que cuida da parte de cidadania, a exemplo, dos cursos do PROERD que é feito nas escolas públicas e particulares, palestras nas escolas sobre bullying, drogas, cidadania, levar as turmas das escolas para conhecer o batalhão”.

Com relação à onda de assaltos que vem acontecendo nas localidades do Salitre e Pinhões, ele foi direto. “Aqui na minha área eu não possuo distritos rurais, é somente urbana, a área rural fica ligada a 74ª CIPM, 75ª CIPM e 76ª CIPM, mais posso garantir que nos distritos próprios e com certeza que há uma preocupação das companhias com relação a este tipo de crime”.