RADIO WEB JUAZEIRO : OUTROS PAÍSES DEIXAM DE RECEBER A CARNE BRASILEIRA

quarta-feira, 22 de março de 2017

OUTROS PAÍSES DEIXAM DE RECEBER A CARNE BRASILEIRA

Hong Kong, Japão, Suíça, México e Jamaica barram carne brasileira

VEJA.com
Fabiana Futema
 Operação Carne Fraca da PF

O governo japonês anunciou a suspensão das importações de frango e outros produtos do Brasil oriundos das 21 empresas citadas na investigação da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal. Na segunda, China, Chile e União Europeia anunciaram restrições à carne brasileira. A operação investiga esquema de corrupção envolvendo fiscais agropecuários e frigoríficos.

O México, que importa produtos avícolas, como carne refrigerada, congelada e desidratada de frango e de peru, ovo fértil e aves domésticas, também suspendeu as importações do Brasil.

As autoridades suíças anunciam que bloquearam a entrada da carne brasileira produzida por quatro empresas citadas na Operação Carne Fraca. A União Europeia já havia comunicado ontem que não aceitaria o embarque dos produtos das empresas investigadas.

“Como somos parte da Europa, bloqueamos o mesmo número de empresas que a União Europeia”, disse Stefan Kunfermann, porta-voz do Escritório de Veterinária da Suíça.

O governo da Jamaica apelou para que a população não coma carne brasileira e ordenou que os supermercados retirem de suas prateleiras os produtos do setor bovino.

Até que o caso seja examinado, toda a importação de carne brasileira será suspensa da Jamaica. O ministro de Comércio jamaicano, Karl Samuda, explicou as medidas têm o objetivo de garantir a “segurança do consumidor”.

Hong Kong, o maior importador de carnes do Brasil, também proibiu a importação de carne brasileira.

“Tendo em vista que a qualidade da carne exportada do Brasil é questionada, por prudência, o Centro de Segurança Alimentar suspendeu temporariamente a importação de carnes congeladas e refrigeradas e carne de aves do Brasil com efeito imediato”, informou a agência em comunicado.

Procurado, o Ministério da Agricultura informou que não havia sido comunicado oficialmente sobre a decisão desses países de barrar a entrada de produtos brasileiros.

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse nesta segunda-feira (20) que será ‘um desastre’ se os países importadores restringirem a entrada da carne brasileira. “Eu torço, rezo, penso, trabalho para isso não acontecer”, afirmou.

Segundo ele, o governo brasileiro precisa se apressar para dar explicações aos países que importam carne do Brasil. A preocupação é com o bloqueio desses mercados ao produto brasileiro, consequência da Operação Carne Fraca, que revelou um esquema de corrupção envolvendo fiscais agropecuários e frigoríficos.

“Temos que correr para atuar no mercado externo. Não podemos permitir o fechamento [do mercado]. Uma vez que aconteça o fechamento, serão muitos anos de trabalho para reabrir novamente. Nossa preocupação é não deixar sem resposta nenhum pedido de informação desses países”, afirmou ele.

Para que os embargos fiquem restritos às 21 empresas investigadas, o Brasil barrou a exportação dessas companhias. Das 21 empresas, apenas quatro exportam para a União Europeia.

(Com Estadão Conteúdo e agência Reuters)

ORTHO100

ORTHO100
.