RADIO WEB JUAZEIRO : JUIZ FEDERAL SÉRGIO MORO É CONDECORADO E TEMER PARTICIPA DA SOLENIDADE

PARA VOTAR NA RADIO, CLIQUE AQUI

.

.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

JUIZ FEDERAL SÉRGIO MORO É CONDECORADO E TEMER PARTICIPA DA SOLENIDADE

Exército entrega medalha de condecoração ao juiz Sérgio Moro

A Ordem do Mérito Militar, mais importante condecoração do Exército, foi entregue em cerimônia a cerca de 100 homenageados.

Por Renan Ramalho e Gustavo Aguiar, G1, Brasília
Juiz Sérgio Moro foi condecorado pelo Exército em cerimônia em Brasília 
(Foto: Gustavo Aguiar/G1)

O Exército brasileiro entregou nesta quarta-feira (19) ao juiz Sérgio Moro a medalha da Ordem do Mérito Militar. O magistrado conduz, na primeira instância, em Curitiba, a Operação Lava Jato – cujos desdobramentos mais recentes implicaram diretamente oito ministros do governo Michel Temer.

A condecoração – a mais importante do Exército – foi entregue ainda a cerca de outros 100 homenageados.

O presidente Michel Temer participou do evento, que durou uma hora. Ele permaneceu sentado a maior parte do tempo e não cumprimentou os homenageados.

A Ordem do Mérito Militar é uma condecoração dada a militares, cidadãos, organizações e instituições que tenham prestado relevantes serviços ao Exército brasileiro. Os nomes dos homenageados foram selecionados por uma comitiva liderada pelo Chefe do Estado-Maior do Exército, Sérgio Etchegoyen. O aval final é do ministro da Defesa, Raul Jungmann.

Segundo os critérios de concessão do título disponível no site do Exército brasileiro, os homenageados devem “distinguir-se no âmbito da Força, ou entre os seus pares, pelo valor pessoal e pelo zelo profissional e ter prestado ao Exército ou à segurança nacional serviços de relevância, em qualquer domínio”.

Ao abrir o evento, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, chamou a atenção para a “coincidência de crises extensas e profundas” pelas quais atravessa o país. Destacou o “colapso da segurança pública”, “aguda crise moral, expressa em incontáveis escândalos de corrupção”, “ineficiência” e ausência de “um mínimo de disciplina social”.

“Este momento tão grave não pode servir a disputas paralisantes; pelo contrário, ele exige, do povo e de suas lideranças, a união de esforços que nos catalise o esforço de regeneração, para restabelecer a esperança e a confiança que nos permita identificar nossos objetivos comuns e reconstruir, a partir daí, o sentido de projeto de nação que nos legaram os heróis de Guararapes”, disse o general.