RADIO WEB JUAZEIRO : O PERIGO MORA AO LADO

PARA VOTAR NA RADIO, CLIQUE AQUI

sexta-feira, 7 de abril de 2017

O PERIGO MORA AO LADO

Fisioterapeuta é abusada sexualmente e morta a facadas em Recife; vizinho é preso
Foto: Divulgação / DP

Uma mulher foi abusada sexualmente e, em seguida, morta a facadas na manhã de quinta-feira (5), em Recife. A vítima é a fisioterapeuta Tássia Mirella Sena de Araújo, de 28 anos. Seu vizinho, o comerciante Edvan Luiz da Silva, 32, foi autuado em flagrante por homicídio qualificado, que é quando a vítima não pode se defender, e também por feminicídio. Os dois viviam em um flat no bairro da Boa Viagem, na Zona Sul de Recife. À frente do caso, o delegado Francisco Océlio explicou em detalhes como o crime deve ter acontecido e o que levou à prisão em flagrante do comerciante. "Como o algoz para fugir não foi para o corredor, nós procuramos sinais de gotejamento. O único sinal de gotejamento era no apartamento do Edvan. (...) Diante de tantos anúncios de que a polícia queria falar com ele, ele fingindo que estava dormindo, com os braços cobrindo o rosto. Entramos com arma em punho, procedimento padrão. Ficamos ao redor da cama e passei a olhar se havia sinais de ferimos no corpo dele. Alguns eram visíveis, tipo ferimento produzido por unha e uma pequena marca de sangue na perna. Nós ainda não temos resultados periciais, mas os indícios que o crime é de cunho sexual. Se trata de um feminicídio. A veste foi tirada abruptamente da vítima”, relatou o delegado em coletiva de imprensa.

Edvan foi preso em flagrante | Foto: Divulgação / Polícia Civil

O perito criminal que apura o caso, Diego Costa, ainda acrescentou que Edvan tentou apagar as manchas de sangue do apartamento com uma camisa que depois foi encontrada em outro prédio. Foram coletadas 17 amostras de DNA nos vestígios de sangue deixados no balcão da cozinha, na sala do apartamento, nas proximidades do guarda-roupa e outros locais. O depoimento do perito também aponta que Mirella lutou muito antes de vir a óbito. "Ela tem vários cortes nas mãos, e há marcas de unhas dela no corpo dele e o apartamento em desalinho", contou. As pegadas com marcas de sangue do comerciante também foram encontradas no apartamento da fisioterapeuta. Depois disso, Edvan foi encaminhado ao Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para prestar esclarecimento e permanece detido no local. Em conversa informal com a polícia, Edvan se contradisse sobre o local onde estava na hora do crime. Em um dado momento, ele disse que estava em um bar, depois mudou a versão e disse que estava em um posto de gasolina. Quantos aos arranhões, ele justificou que foram causados durante uma briga.

BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.