RADIO WEB JUAZEIRO : VEJA O VÍDEO - CANTOR DE RAP MORRE AO SER ATINGIDO POR TIROS NO PALCO

PARA VOTAR NA RADIO, CLIQUE AQUI

.

.

terça-feira, 18 de abril de 2017

VEJA O VÍDEO - CANTOR DE RAP MORRE AO SER ATINGIDO POR TIROS NO PALCO

Polícia investiga execução de rapper do DF durante show

Ele foi atingido por seis disparos durante apresentação em Brazlândia e morreu. Ninguém foi preso; não havia sangue no local do crime e apenas uma bala foi encontrada.

Por Mariana Machado, TV Globo

Vídeo mostra momento em que rapper é atingido por tiros durante apresentação no DF

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga a execução de um cantor de rap morto a tiros durante uma apresentação em Brazlândia, no último domingo (16). Robson Pereira de Souza Machado, de 30 anos, mais conhecido como "Robson RBS", foi atingido por seis balas vindas de uma pessoa encapuzada na multidão, que atirou cerca de dez vezes. Um vídeo registrado no momento dos disparos mostra o público correndo em pânico (veja vídeo acima).

O rapper não estava cantando na hora, mas estava próximo ao palco, prestes a se apresentar. Ele foi o único atingido e chegou a ser encaminhado ainda vivo ao Hospital Regional de Brazlândia, após ser socorrida pelo público (veja vídeo abaixo). Ele não resistiu aos três ferimentos que tinha na parte frontal do corpo e outros três nas laterais, de quando tentou escapar dos tiros.

A polícia disse que a perícia não foi acionada porque não foi achado nenhum vestígio de sangue no local do show. Apenas uma bala compatível com pistola 380 mm foi encontrada no palco.

Segundo a corporação, um tio da vítima compareceu à 18ª DP e disse desconhecer qualquer envolvimento do rapper com consumo ou tráfico de drogas. Ele também declarou não saber da existência de inimigos que desejassem a morte do cantor.

Público tenta socorrer cantor de rap que levou tiro em show no DF

O cantor e morador da região do Assentamento em Brazlândia já tinha passagem pela polícia por tentar entrar no Centro de Detenção Provisória (CDP) com celular, mas estava se dedicando ao rap há pelo menos três anos.

De acordo com outro rapper que estava no momento do crime, o DJ Máximo da Silva (conhecido como "DJ Marola"), ele participava de apresentações do grupo dele há um ano e meio.

"Na noite anterior ele estava me agradecendo por fortalecê-lo na caminhada e pelo incentivo. Ele me agradeceu por eu o estar ajudando", afirmou Silva.

A Polícia Militar disse que não foi chamada ao local, mas um carro da corporação passava por perto, ouviu os disparos e foi até lá. A suspeita é de acerto de contas. Segundo a PM, o evento não tinha autorização da Secretaria de Segurança Pública para acontecer.

A organização do grupo "Voz Sem Medo", que organizou o evento, disse que por ser de pequeno porte, com menos de 80 pessoas, foram informados pela Administração de Brazilândia de que não era necessária a autorização.

Ninguém havia sido preso até a última atualização desta reportagem. O sepultamento do cantor está previsto para a tarde desta terça-feira (18).

Os shows de rap eram uma comemoração de dois anos do "Ensaiaço", projeto social que leva a música e o esporte para populações carentes. Além do show, havia também uma competição de basquete.