RADIO WEB JUAZEIRO : HMEM EXPLICA PORQUE DORMIU 6 DIAS AO LADO DO CORPO DA ESPOSA

segunda-feira, 8 de maio de 2017

HMEM EXPLICA PORQUE DORMIU 6 DIAS AO LADO DO CORPO DA ESPOSA

Britânico explica por que velou mulher em casa e dormiu ao lado do caixão por seis dias

Russell Davison velou Wendy em casa Foto: Reprodução/Facebook
Extra

Ainda em luto pela morte da mulher depois de 10 anos de luta contra um câncer cervical, um britânico quebrou o silêncio sobre por que preferiu velar a amada durante seis dias em casa — e dormir ao lado de seu caixão antes de entregá-la ao serviço funerário. Em comovente carta, Russell Davison argumentou que não havia nada a temer em cuidar pela última vez de Wendy e que a despedida caseira acompanhava toda a relação natural da família com o fim da vida.

"Ela sempre quis morrer em casa. Depois de lavar o corpo de Wendy com gentileza e amor e vesti-la, a colocamos em seu casulo, uma palavra que preferimos a caixão. Ela me parecia absolutamente linda, como sempre fez em vida: sem esforço ou maquiagem. Apenas radiantemente linda", explicou Russell, que diz ter chorado por dez horas seguidas ao realizar a perda.

Wendy Davison descobriu o câncer na cervical pouco depois da festa de aniversário de 40 anos, em novembro de 2006. Ciente do risco, a família preferiu não entregar o tratamento às equipes médicas e decidiu se lançar em viagem pela Europa para aproveitar o tempo que restava. Ela recusou quimioterapia e radioterapia e sobreviveu com idas e vindas ao Hospital Royal Derby, na cidade em que mora.

Wendy Davison morreu em casa, aos 50 anos   -  Foto: Reprodução/Facebook

Há três anos, ela recebeu a notícia de que tinha três meses de vida. Mas foi em setembro do ano passado que a dor se tornou insuportável e a família voltou ao lar para que ela realizasse o desejo de morrer em casa.

"Eu e os meninos, dois filhos dela e dois meus, fomos enfermeiros dela nos últimos meses. Wendy parou de comer em 10 de abril e de beber em 15 de abril. Ficaria sedada dali para frente. Mas ela ainda conseguiu se comunicar o bastante para dizer que me amava e que não mais sentia dores", escreveu o marido, aliviado com a paz que ela passara a sentir.

A morte de Wendy foi confirmada em 23 de abril deste ano. A família preferiu mantê-la em casa e receber amigos e parentes durante seis dias no quarto do casal para as despedidas. A iniciativa, segundo ele, ajudou a aceitar a perda e a ideia de que a mulher sempre faria parte do lar.

"Na minha humilde opinião, precisamos tomar o controle de volta. Não deve haver medo de cuidar dos parentes mortos. Wendy, você nos mostrou exatamente como viver", escreveu Russell, que marcou para o próximo dia 14 um ato em celebração à vida da amada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

ORTHO100

ORTHO100
.