RADIO WEB JUAZEIRO : RIO DE JANEIRO VIVE DIA INFERNAL

PARA VOTAR NA RADIO, CLIQUE AQUI

sexta-feira, 30 de junho de 2017

RIO DE JANEIRO VIVE DIA INFERNAL

Em estágio de atenção, Rio tem mais de 45 km de engarrafamento em dia de protestos
Protesto na Avenida Brasil, sentido Penha  - Foto: Rafael Soares

Rafael Soares e Júlia Cople

Em dia de protestos convocados por centrais sindicais, o Rio tem pontos de manifestação contra as reformas trabalhista e previdenciária. Já há mais de 45 quilômetros de engarrafamento na cidade, às 8h52m — a média para o horário é de 35 quilômetros. A retenção na cidade, agora em processo de normalização, atingiu o pico de 72 quilômetros por volta de 8h10m. A média das últimas três sextas-feiras às 7h foi de 19 quilômetros de engarrafamento, segundo o Centro de Operações.

Às 6h20m, o Rio entrou em estágio de atenção em função dos protestos. O transporte público funciona normalmente nesta sexta-feira — é o meio recomendado pela Prefeitura para quem precisa sair de casa. Apenas o BRT Transcarioca opera em intervalos irregulares.

Segundo o Centro de Operações, com informações da Guarda Municipal, há bloqueio na Avenida 20 de Janeiro, na chegada ao Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim desde 6h10m. Por volta de 8h, a via foi parcialmente liberada e, às 8h20m, só uma faixa permaneceu fechada. O BRT Transcarioca em direção ao Galeão chegou a ser paralisado, por volta de 7h10m. O sistema voltou a operar oito minutos depois, com intervalos irregulares.

A partir de 6h52m, a Prefeitura passou a considerar este o pior ponto de bloqueio na cidade. Uma fila de passageiros que perderam os voos foi organizada no saguão para reaver o dinheiro ou remarcar a passagem.

Em razão do bloqueio, há congestionamento na Estrada do Galeão, sentido Ilha do Governador. Não há interdições no acesso ao Aeroporto Santos Dumont, de acordo com o Centro de Operações. Manifestantes marcharam com faixas de protesto no saguão no aeroporto por volta de 4h da manhã, mas a operação seguiu normal.

Manifestantes na descida da Ponte Rio-Niterói Foto: Rafael Soares

A Avenida Brasil, uma das principais vias expressas da cidade, é mais afetada pelos protestos. Às 7h40m, chegou a acumular 24 quilômetros de engarrafamento em toda a sua extensão. A via foi interditada no sentido Centro, na altura de Santa Cruz, a partir de 8h25m. A Polícia Militar enviou equipes para o local. Há reflexo também no sentido Zona Oeste.

A avenida também sofreu com bloqueio devido a protesto na altura da Penha, no sentido Centro, desde as 5h. A interdição começou a ser desfeita às 7h15m. Apenas uma faixa da pista lateral continua ocupada. Há retenção a partir de Irajá, e a opção para veículos é trafegar pela Avenida Lobo Júnior.

Cerca de 50 manifestantes, ligados às centrais sindicais, moveram o protesto. O Batalhão de Choque enviou agentes ao local, em suporte a pelo menos seis viaturas da Polícia Militar.

Outro ponto de protesto é na descida da Ponte Rio-Niterói para a Avenida Brasil, também no sentido Centro, na altura do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into). A pista central ficou interditada, e a polícia acompanhou a marcha dos manifestantes em direção à Rodoviária Novo Rio, a partir de 7h40m.

Às 8h, o grupo passou a bloquear parcialmente o acesso da Avenida Brasil à Via Expressa do Porto, no sentido Aterro do Flamengo. O local foi liberado pouco depois. Parte do movimento voltou pela via e provocou interdições nas duas pistas da Avenida Rio de Janeiro, na altura do Into, às 8h25m. Há reflexo de lentidão na região do Caju. A melhor opção, segundo o Centro de Operações, é seguir pela Linha Vermelha.

Protesto na descida da Ponte Foto: Reprodução/Centro de Operações

Na Linha Vermelha, sentido Centro, um protesto também bloqueiou a via expressa, por volta das 6h, na altura do Hospital do Fundão. Manifestantes chegaram a atear fogo em lixo na pista. Às 6h20m, porém, o Centro de Operações afirmou que o sentido Centro foi totalmente liberado. Motoristas encontram congestionamento desde os acessos de de Vigário Geral até o Parque das Missões, do aeroporto até o acesso à Ilha e no Caju.

Segundo o Centro de Operações, os motoristas que saem da Baixada Fluminense rumo ao Centro do Rio devem preferir a Linha Vermelha.

Manifestantes atearam fogo durante protesto na Linha Vermelha
 Foto: Reprodução/Twitter/Centro de Operações

Houve interdições ainda na Rua Leopoldo Bulhões, em Benfica, na altura dos Correiros. As opções eram o tráfego pela Avenida Pastor Martin Luther King ou o uso do transporte público. A via foi liberada por volta de 6h20m.

Um grupo de manifestantes protesta desde às 5h na porta da estação Araribóia, em Niterói, das Barcas. Passageiros, entretanto, embarcam normalmente. Na estação Praça XV, não há registro de protesto.

A movimentação de ônibus é normal no terminal Central.

ORTHO100

ORTHO100
.