PARA VOTAR NA RADIO, CLIQUE AQUI

.

.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

SEGUIDORES DO PREFEITO DE MILAGRES BAHIA FAZEM BADERNA NA CÂMARA.

O PODER E O EXERCÍCIO DO PODER.
Resultado de imagem para MILAGRES - BAHIA

Um PROJETO de LEI precisa estar embasado na legalidade. Um PROJETO de LEI precisa estar formatado em cálculos e contrapartidas que serão benéficos ao povo. Um PROJETO de LEI, não é um CAPRICHO, é um bem para a MAIORIA da POPULAÇÃO.

Um PROJETO que tenha a intenção de adequar um CEMITÁRIO, por exemplo, porque, além de mortos, familiares e o município visam um depositário mortuário que traga dignidade e segurança sanitária para o município e humanamente, um enterro digno para um ser humano.

Para isto é preciso que haja o projeto e os custos de tal projeto para a maioria da população e o município. Neste projeto é preciso que haja a constatação dos impactos de tal obra à população, se próximo ao cemitério existe algum depósito de água, várias moradias e afins, o nome disso é planejamento. Um projeto de Lei antes de ser apresentado, deve ser planejado, muito antes de ser protocolado. 

Todo e qualquer Projeto de Lei deve trazer em si a contrapartida para a população e para isto, deve estar embasado na Lei quer, regimental, de uma Casa Legislativa, de um órgão sanitário,ou até mesmo tributário.

Um Vereador tem em sua investidura a principal incumbência, de FISCALIZAR o Poder Executivo, investido no Poder Legislativo. Uma emenda requer conhecimento e assessoramento técnico para tal. Um Projeto de Lei deve trazer em seu bojo, o bem comum do povo, e para o povo.

Legislar é se preparar, não para brigar, mas sim, para defender o município, seus aparelhos e o povo. O poder precisa ser algo humanizado, limitado e embasado na Lei, do contrário, será abuso, ou contradição. O PODER e o EXERCÍCIO DO PODER. Raimundo Jorge Martins Ribeiro. MANDA BRASA NÃO MANDA BRISA.


Raimundo Jorge Martins Ribeiro