RADIO WEB JUAZEIRO : O PROJETO QUE FRACASSOU

PARA VOTAR NA RADIO, CLIQUE AQUI

terça-feira, 4 de julho de 2017

O PROJETO QUE FRACASSOU

Projeto de 'superônibus' chinês afunda em meio a acusação de fraude

Veículo prometia passar por cima dos carros e melhorar o trânsito, mas 32 pessoas envolvidas com a empresa responsável pelo financiamento do projeto foram detidas em investigação de fraude.

Por G1
Superônibus é testado na China, em agosto de 2016 (Foto: (Luo Xiaoguang/Xinhua via AP))

Cerca de 1 ano depois do polêmico primeiro teste, o "superônibus" chinês capaz de passar por cima dos automóveis está cada dia mais enterrado no limbo dos projetos curiosos que nunca sairão do papel.

Isto porque a polícia de Pequim prendeu 32 pessoas envolvidas com a Huaying Kailai, plataforma digital que estaria financiando o projeto de forma fraudulenta, segundo informou o jornal "The New York Times".

A suspeita, levantada ainda no ano passado, é de que o dinheiro para construir o superônibus veio de um esquema de pirâmide financeira - um tipo de golpe que remunera os primeiros investidores, que recrutam outros, até que o negócio se torne insustentável.

O jornal "The Beijing News" afirmou nesta semana que o projeto do superônibus era uma fraude desde o começo, servindo apenas como atrativo para atrair investidores, sem nenhuma base técnica ou inovação científica.
Protótipo de ônibus elevado é visto em agosto de 2016 em Qinhuangdao, na China (Foto: REUTERS/Stringe)

O 'sonho'

O projeto foi apresentado pela primeira vez em 2010 e, novamente, em maio de 2016, ainda como um conceito de feira de ciências.

O modelo de Ônibus de Passagem Elevado (TEB, na sigla em inglês) funcionaria por meio de um sistema de trilhos e possui um vão por baixo, onde passam os outros veículos.

Em comboio, os ônibus elevados poderiam levar até 1.200 pessoas. Cada segmento teria 22 m de comprimento, 4,8 m de altura e 7,8 m de largura, formando uma estrutura com comprimento total de entre 58 e 62 metros.
Envolvidos com empresa que financiava o projeto foram detidos em investigação de fraude (Foto: REUTERS/Stringer)

A realidade

Em agosto do ano passado, um protótipo foi "testado" em um trecho de 300 metros em Qinhuangdao. Imagens que percorreram o mundo mostraram o "superônibus" rodando alguns metros com carros passando por baixo dele, apenas em linha reta.

O site "Car news China" afirmou que o protótipo tinha um sistema de ar-condicionado simples, do tipo que se usa em casas, e que a plataforma de embarque parecia "mal construída".

A imprensa chinesa noticiou ainda que as autoridades da província de Qinhuangdao não tinham conhecimento do teste com o veículo, portanto, não o autorizaram.

A empresa desenvolvedora do projeto, Transport Explore Bus, acabou confirmando que não se tratou de um teste em via pública, mas "interno".

Jornalistas da agência Xinhua chegaram a ir até o local que seria a fábrica, que já tinha sido palco de uma cerimônia de início de construção, mas só encontraram um buraco na terra.
Ônibus chinês que passa por cima dos carros poderia levar até 300 pessoas (Foto: Luo Xiaoguang/Xinhua via AP)

Os problemas

A altura do ônibus em relação ao solo seria de cerca de 2 metros. Daí o questionamento sobre como fazer com caminhões, vans ou mesmo SUVs e picapes grandes. A saída mais fácil seria proibir a entrada destes carros embaixo do ônibus.

Especialistas em transportes também questionaram se o veículo seria capaz de fazer curvas e se os carros poderiam fazer conversões para transversais.

Outra dúvida sobre a viabilidade estaria no fato de que o ônibus seria elétrico. A ideia é que as baterias se recarreguem a cada estação, mas não ficou claro qual seria a autonomia necessária para que o ônibus funcionasse.

Também houve questionamento sobre se, de fato, o veículo é um ônibus ou se ele está mais para um trem andando sobre trilhos.

Há ainda o custo: segundo a revista "Wired", a empresa por trás do projeto afirmou, em maio passado, que cada veículo custava US$ 4,5 milhões, um montante que seria suficiente para comprar 11 ônibus com zero emissão de poluentes, capazes de transportar ao menos 550 pessoas contra as 300 de cada "superônibus".

ORTHO100

ORTHO100
.