RADIO WEB JUAZEIRO : OS BENEFÍCIOS DE SER SOLTEIRO, SEGUNDO A CIÊNCIA

quinta-feira, 27 de julho de 2017

OS BENEFÍCIOS DE SER SOLTEIRO, SEGUNDO A CIÊNCIA

Artigos recentes contestam estudos que diziam que casados tinham saúde melhor e apontam para vantagens como maior contato com familiares e amigos e vida com mais autonomia.

Por BBC

Pesquisadora americana encontrou levantamentos mostrando que solteiros costumam cultivar mais amizades e mais autonomia do que os casados (Foto: Pixabay)

Dividir a vida com alguém é apontado por muitos estudos como benéfico à saúde. Já no século 19 havia pesquisas que indicavam que pessoas casadas levavam vidas mais saudáveis, e estudos mais recentes mostraram que elas tinham risco menor de pneumonia, câncer, problemas cardíacos ou de serem submetidas a cirurgias do que pessoas que vivem sozinhas.

Mas a ciência também está de olho nas vantagens que ser solteiro pode trazer às pessoas, entre elas, uma vida com mais amigos e interação social, e com mais objetivos - e determinação para cumpri-los.

"Todos nós crescemos ouvindo: 'case-se e você não se sentirá sozinho'. Mas eu nunca achei que essa seria a minha história", diz, em uma palestra recente do TedX, a pesquisadora americana Bella DePaulo, 63, da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara. Como solteira convicta, ela se dedicou a estudar a felicidade nesse grupo de pessoas.

Para DePaulo, "as preocupações com as dificuldades da solidão podem ofuscar os benefícios de ser solitário".

Em 2016, a pesquisadora fez um levantamento de estudos que evidenciassem essas vantagens, e encontrou indícios de que:

1 - Solteiros muitas vezes têm mais contato com amigos

"Costumamos escutar que 'solteiros não têm ninguém', mas o fato é que muitas vezes eles têm mais amigos e se esforçam mais para manter elos com pais, irmãos e sua comunidade", diz ela. "Enquanto isso, casados tendem a ser mais insulares."

Esse dado vem de um estudo de 2015 nos EUA, que avaliou levantamentos censitários para entender os laços entre parentes, vizinhos e amigos adultos americanos.

Os pesquisadores, em artigo publicado no Journal of Social and Personal Relationships, dizem que "solteiros têm mais tendência a manter contato e receber ajuda de pais, irmãos, vizinhos e amigos do que os casados. Essas diferenças são mais proeminentes para os que nunca se casaram do que os que haviam sido casados".

O que importa para a saúde, segundo DePaulo, é ter pessoas com as quais você possa se abrir, mais do que ter ou não um cônjuge.
Laços se tornam uma importante rede de apoio para pessoas solteiras (Foto: Pixabay)

2 - Solteiros podem desfrutar de mais autonomia e satisfação

DePaulo argumenta que não é apenas o amor que nos traz sentimento de plenitude, mas também "autonomia, propósito e (a sensação de) estar no comando de nossas vidas".

"Solteiros perseguem o que importa mais para eles, (como) trabalhos mais significativos e mais crescimento pessoal", argumenta. E, com mais autossuficiência, essas pessoas tinham menos chance de experimentar sentimentos negativos.

Ela cita um estudo publicado no Journal of Family Issues que conclui que "ainda que o casamento continue a promover bem-estar para tanto homens quanto mulheres, em alguns casos - como autonomia e crescimento pessoal - os solteiros se saíram melhor do que os casados".

Esses solteiros ouvidos pelo estudo tendiam a concordar mais com as frases "Para mim, a vida tem sido um processo contínuo de aprendizado, mudanças e crescimento" e "Acho importante ter novas experiências que desafiem como você vê a si mesmo e ao mundo".

3 - Solteiros não necessariamente têm saúde pior que casados

Um estudo posterior ao levantamento de DePaulo também colocou em xeque a ideia de que a saúde dos casados é sempre melhor.

Publicada em março de 2017 na revista Social Forces, da Oxford University Press, a pesquisa de Matthijs Kalmijn, da Universidade de Amsterdã, usou dados coletados na Suíça ao longo de 16 anos e "lança dúvidas sobre a teoria de proteção de saúde" que beneficiaria pessoas casadas.

O pesquisador questionava anualmente os participantes quanto a sua saúde. E não encontrou melhoras ao longo da vida dos casados - ressaltando que são necessários mais estudos para avançar no tema.

"As evidências sugerem que o casamento tem mais a ver com a saúde mental do que física", escreve Kalmijn. "Especulamos que o casamento seja mais ligado a uma avaliação positiva da vida da pessoa do que a uma melhora em sua saúde."

Vale lembrar, porém, que há extensa documentação científica sobre os efeitos favoráveis proporcionados por casamentos felizes, desde mais estabilidade econômica até o apoio mútuo cultivado entre o casal.

Para DePaulo, ressaltar os benefícios da vida de solteiro não significa desprezar os do casamento - significa "buscar o estilo de vida que melhor funcione para cada pessoa".

"O que importa não é fazer o que as outras pessoas acham que devemos fazer, mas sim buscar os espaços em que podemos ser o que realmente somos e nos permitir viver o melhor de nossas vidas", argumentou ela em uma apresentação de 2016 para Associação Americana de Psicologia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

ORTHO100

ORTHO100
.