RADIO WEB JUAZEIRO : VEJA O VÍDEO - POPULAÇÃO CONSOME ÁGUA CONTAMINADA NO PIAUÍ

10 MESES DE ADMINISTRAÇÃO: QUE NOTA VOCÊ DÁ PARA O PREFEITO DE JUAZEIRO?

sexta-feira, 14 de julho de 2017

VEJA O VÍDEO - POPULAÇÃO CONSOME ÁGUA CONTAMINADA NO PIAUÍ

Exames parasitológicos identificam amebas em água fornecida em Curimatá.

Por G1 PI

Moradores de Curimatá denunciam má qualidade da água das torneiras

Na cidade de Curimatá, a 775 km de Teresina, há um mês a água recebida nas torneiras tem uma coloração esverdeada e moradores têm sentido no corpo as consequências. Segundo o analista bioquímico Túlio Lustosa, pelo menos 200 pessoas adoeceram após a contaminação. A situação agrava o problema da crise hídrica no estado. Em todo o Piauí, 30 localidades estão em racionamento sob ordem do governo e mais de 25 em situação de emergência devido à seca.

Túlio é morador de Curimatá, possui um laboratório na cidade, e afirmou ao G1 que desde janeiro o número de bactérias encontradas em exames de moradores teve um significativo aumento. “Tenho percebido que o número de microrganismos, como amebas, tem aumentado. Os pacientes vêm fazer os exames parasitológicos de fezes e urina e notamos o crescimento desses microrganismos em decorrência da má qualidade da água”, disse.
Morador mostra em um copo as condições da água recebida em sua casa
 (Foto: Divulgação/ Arquivo Pessoal)

De acordo com o laboratório, em uma análise comparada da água e de exames de moradores foram detectadas bactérias compatíveis e mais de 200 pacientes apresentaram casos de vômito, náuseas e diarréia, característicos de contaminação.

Os locais de captação de água têm reduzido drasticamente os níveis, devido à estiagem, e o governo tem buscado diversos meios de abastecer a população. Contudo, a suspeita é de que em algumas residências a água esteja sendo fornecida sem tratamento.

A irmã de uma das pessoas infectadas enviou uma foto do exame parasitológico, que mostra a presença da ameba Entamoeba Coli, encontrada em locais de água contaminada. Quando ingerido, esse microrganismo causa febre alta, desconforto abdominal e evacuações podendo conter sangue nas fezes.
Exame parasitológico aponta presença de ameba comum em águas contaminadas (Foto: Divulgação/ Arquivo Pessoal)

"Minha irmã fez um exame, foi encontrado nela um 'verme' e há indícios de que essa contaminação foi causada pelo uso da água. Ela sente enjôos, vômitos e fraqueza, entre outras coisas", afirmou a irmã da paciente que preferiu não se identificar. A data do exame parasitológico coincide com o período de pouco mais de um mês quando a água começou a apresentar a cor verde.

Autoridades comentam a situação

Ao G1, o prefeito de Curimatá, Valdecir Júnior, disse que o município não possui registros de doenças causadas por conta da contaminação. "Se houver casos de doenças, o município será o primeiro a buscar meios de solucionar", afirmou.

Ele também falou sobre o trabalho do governo do estado e da prefeitura na solução do abastecimento da cidade.

"Estamos com duas máquinas perfuratrizes modernas do Exército, uma da Agespisa [que faz o tratamento e abastecimento de água] e uma particular bancada pelo município, além de cinco carros-pipa atendendo a cidade e zona rural", completou o prefeito.

O secretário da Defesa Civil do Piauí, Hélio Isaías, disse que membros da secretaria e da Agespisa conheceram as estações de tratamento e constataram que o sistema de abastecimento não estaria tão comprometido. Ele disse ainda que os municípios de Júlio Gomes e Avelino Lopes vão buscar água em Curimatá.

"No momento da visita a coloração da água estava normal. O estado determinou a criação de mais poços para auxiliar no abastecimento, mas as barragens vão continuar a fornecer água”, pontuou o secretário.
Bomba de água em uma das barragens que abastecem a cidade de Curimatá, coloração é semelhante à recebida nas torneiras (Foto: Divulgação/ Arquivo Pessoal)

A Agespisa falou apenas sobre o problema no abastecimento de água na cidade. Em nota, afirmou que está perfurando um poço em Curimatá para amenizar o racionamento causado pelo baixo nível da Barragem de Algodões. Com esse poço, a empresa espera aumentar a oferta de água.

Vídeo mostra 'água verde' nas torneiras

Contudo, no mesmo dia em que a prefeitura e a Defesa Civil responderam ao G1, moradores enviaram vídeos sobre a realidade que têm enfrentado diariamente. Nas imagens, é possível ver a condição imprópria da água que sai das torneiras. A coloração esverdeada e um conteúdo denso com mau cheiro, segundo os moradores, impossibilitam o consumo do líquido.
Condições da água têm causado transtorno à população de Curimatá (Foto: Divulgação/ Arquivo Pessoal)

Mais dificuldades

Apesar das medidas tomadas pelas autoridades, mais problemas aparecem com o passar dos dias. Moradores da região próxima à Estação de Tratamento de Água de Curimatá informaram ao G1 que um dos poços, que estavam sendo perfurados pela Agespisa na primeira semana de julho, desmoronou e os profissionais da área estariam em busca de outro local para realizar a escavação.
Situação atual do açude Vereda da Cruz, que abastece Curimatá e municípios vizinhos, é crítica (Foto: Divulgação/ Arquivo Pessoal)

A cidade de Curimatá conta com três estações de abastecimento de água. A mais antiga é a barragem de Sertão, construída na década de 80. A segunda maior, Vereda da Cruz, está completamente seca. Já a maior estação, o Açude de Algodões II, fornece água a Curimatá e municípios vizinhos e não possui adutora, o que gera um grande prejuízo devido à abertura das comportas no intuito de conduzir a água para uma subestação. Até o riacho perenizar para poder abastecer a cidade, leva mais de dez dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

ORTHO100

ORTHO100
.