RADIO WEB JUAZEIRO : QUEDA DE AVIÃO DE EDUARDO CAMPOS CONTINUA SOB INVESTIGAÇÃO

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

QUEDA DE AVIÃO DE EDUARDO CAMPOS CONTINUA SOB INVESTIGAÇÃO

Juíza determina que investigação do acidente que matou Eduardo Campos ocorra por mais tempo

Juíza Alessandra Nuyens Aguiar Aranha, da 4ª Vara Federal de Santos, ampliou o prazo para que as ações sejam julgadas.

Por G1 Santos
Avião de Eduardo Campos caiu em Santos (Foto: Luna Markman / G1 PE)

A juíza Alessandra Nuyens Aguiar Aranha, da 4ª Vara Federal de Santos, no litoral de São Paulo, interrompeu o prazo de prescrição para ações judiciais sobre o acidente que matou o então candidato à presidência da república Eduardo Campos (PSB), em agosto de 2014.

A decisão foi proferida após a mãe de Eduardo Campos, Ana Lucia Arraes de Alencar, e o irmão do presidenciável, Antonio Ricardo Accioly Campos, não concordarem com os laudos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa). Na época, o Cenipa apontou quatro motivos para o acidente: Indisciplina de voo, atitude dos pilotos, condições meteorológicas adversas e desorientação.

Com a decisão, a juíza amplia o prazo para que as ações contra União e a Cessna Aircraft Corporation, que fabricou o jato Cessna Citation 560 XL, sejam julgadas. Além do pedido da família para prorrogar o prazo, a juíza ordenou que o Ministério Público Federal (MPF) avaliará a produção de provas antecipadas sobre o acidente. Delas dependerão, segundo a juíza, “as ações cíveis cabíveis” que possam ser impetradas contra a União e a empresa fabricante da aeronave.

Acidente

O acidente que matou o ex-presidenciável e mais seis pessoas aconteceu em agosto de 2014, em Santos, no litoral de São Paulo. Eduardo Campos se dirigia à região para participar de um evento relacionado ao Porto, quando o avião em que viajava caiu em uma área urbana do município.
Áudios registram últimos diálogos em avião que caiu e matou Eduardo Campos (Foto: Reprodução/GloboNews)

ORTHO100

ORTHO100
.