RADIO WEB JUAZEIRO : MAIS UMA BALEIA É ENCONTRADA MORTA EM ÁGUAS BAIANAS

10 MESES DE ADMINISTRAÇÃO: QUE NOTA VOCÊ DÁ PARA O PREFEITO DE JUAZEIRO?

sexta-feira, 1 de setembro de 2017

MAIS UMA BALEIA É ENCONTRADA MORTA EM ÁGUAS BAIANAS

Baleia Jubarte é encontrada morta na Praia de Ondina

Nicolas Melo*, com informações de Aurélio Lima

Homem nada ao lado da baleia morta na manhã desta sexta-feira
Xando Pereira | Ag. A TARDE

Mais uma baleia Jubarte foi encontrada morta em águas baianas na manhã desta sexta-feira, 1º. Desta vez, o animal ficou encalhado na Praia da Ondina, na orla de Salvador, atrás do Bahia Othon Palace. Até o momento, não há informações sobre a causa da morte.

O corpo do animal aguarda para ser removido. A equipe de reportagem do Portal A TARDE entrou em contato com o Instituto Baleia Jubarte, que informou que irá mandar uma equipe ao local.

O pescador Lázaro Moreira acredita que o animal morreu há três dias. "O animal já está em decomposição, porque está soltando pedaços da barbatana", informou ele.

Instituto

Caso encontre uma baleia encalhada na praia, ligue para o Instituto Baleia Jubarte: (71) 98154-2131 ou 3676-1463.

A pesquisadora do Projeto Baleia Jubarte, Luena Fernandes, explica que "o mais comum é o corpo afundar, passar vários dias e quando começa a encher de gases, ela volta a subir e o mar acaba o trazendo para costa".

De acordo com Luena, nesta época do ano, sempre é possível ver uma jubarte. As aparições acontecem normalmente entre os meses de junho a novembro, nas águas da costa litorânea da Bahia e também no norte do Espirito Santo, quando as águas estão mais quentes.

"Nós estamos na temporada de baleias Jubarte. Neste período, elas vêm para o litoral em busca de águas quentes para acasalar e reproduzir. A fêmea, geralmente, costuma chegar mais próximo à praia em busca proteção e amamentação dos seus filhotes", disse a pesquisadora.

Sessenta e sete baleias já foram encontradas mortas no litoral brasileiro, de janeiro a agosto deste ano. Só na Bahia foram 26, com a encontrada hoje.
A pesquisadora ainda recomenda que em casos como este, o cidadão não deve se aproximar do animal, porque pode contrair alguma doença. Em vez disso, pode entrar em contato com o Instituto Baleia Jubarte por meio dos telefones (71) 98154-2131 ou 3676-1463.
*Sob supervisão da editora-coordenadora Iloma Sales.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

ORTHO100

ORTHO100
.