RADIO WEB JUAZEIRO : BOLA FORA

terça-feira, 3 de outubro de 2017

BOLA FORA

Artista juazeirense diz que Secretaria de Cultura utilizou seu projeto para uma intervenção na orla 2 numa atitude de desrespeito

O artista plástico juazeirense Ruy Carvalho, que reside em Salvador desde 1982, procurou a nossa redação para demonstrar a sua indignação diante de uma atitude da Secretaria Municipal de Turismo, Cultura e Esporte, que o artista classifica como desrespeitosa e desonesta.

Ruy Carvalho é artista visual, ilustrador e desenhista de humor, com trabalhos publicados em revistas como Casa Cláudia, Vogue, Jornal A Tarde, Tribuna da Bahia. Ele já trabalhou como ilustrador na TV Globo/ SP, TVs Aratu, e Bandeirantes/ Bahia. Recebeu menção honrosa na Casa de Cultura Laura Alvin, Rio de Janeiro, e tem trabalhos em telas, painéis e moisaicos espalhados por várias partes do Brasil e do mundo. Uma das suas telas foi selecionada no Salão de Artes do Aeroporto Internacional de Munique.

Segundo Ruy Carvalho, em 2015 ele idealizou e projetou um painel em moisaico, com elementos da história juazeirense para um espaço de pedras que fica na área do vaporzinho, na orla 2 da cidade.

Desde esta época, de acordo com o artista, ele procurou representantes da gestão municipal na tentativa de ter o projeto aprovado e assim deixar sua primeira obra em Juazeiro, sua terra natal.

” Procurei o então secretário de desenvolvimento econômico, Carlos Neiva e também o assessor Fernando Dantas, que apreciaram e se entusiasmaram com o projeto, me deram esperança de que a obra seria executada, mas pediram um tempo para que o gestor desse a palavra final”, conta Ruy.

Em 2016, esta conversa foi retomada, mas por ser véspera de ano eleitoral, mais uma vez os representantes da prefeitura pediram para o artista aguardar até que se definisse o novo gestor, de acordo com o relato de Ruy.

“Guardei o projeto na esperança de que, nesta nova gestão, o processo fosse viabilizado. Em julho passado apresentei minha ideia e criação ao superintendente Maurício Cordeiro, inclusive enviando para ele uma cópia do projeto de intervenção artística para aquele espaço, que jamais foi utilizado pela gestão ou por qualquer artista da região. Mauriçola demonstrou interesse, elogiou o projeto e ficou de apresentar aos seus superiores para que a obra fosse executada. O superintendente chegou até a me pedir que fizesse uma alteração no projeto, agregando o nome da cidade à arte, coisa que fiz de pronto”.

Ruy Carvalho conta ainda que na semana passada recebeu uma ligação do próprio secretário Sérgio Fernandes, pedindo mais informações sobre o projeto ” De julho pra cá, eu e Mauriçola trocamos algumas mensagens, até que na semana passada recebi uma ligação do secretário de cultura querendo saber sobre a metragem do painel e o custo da obra. Resolvi vir a Juazeiro para conversar pessoalmente com o secretário e alinhar o que fosse necessário”, relata.

Chegando em Juazeiro, na noite de ontem( 3), o artista encontrou o espaço que abrigaria sua ideia e criação, já ocupado com uma pintura feita, segundo ele tomou conhecimento, por estudantes do curso de artes plásticas da Univasf.


” Tomei um susto e não acreditei no que estava vendo. Não pela iniciativa dos estudantes, que é muito interessante, mas pelo desrespeito da gestão de cultura comigo, que tive a ideia de valorizar aquele espaço com arte e me debrucei em uma criação que partiu de um trabalho de pesquisa e se transformaria em um patrimônio cultural para minha cidade. Esperei todo este tempo. Se apropriaram da minha ideia e passaram pra frente, numa atitude de total desrespeito. Sequer tiveram a consideração de me comunicar sobre a cessão do espaço para os estudantes”, reclamou Ruy Carvalho.

Ele também adiantou que hoje (3), recebeu uma mensagem do superintendente Carlos Maurício, se justificando que a prefeitura não tinha condições de pagar o valor cobrado para a execução da obra e que os estudantes da Univasf fizeram a pintura “de graça”.

Ao que responde e finaliza ” Arte não tem preço, não é cara, nem barata. Não há como mensurar o valor da obra de um artista. No entanto, eu sequer fui chamado para negociar, ou me apresentaram uma contra-proposta. Para deixar um legado para minha cidade, eu estava disposto a rever valores, parcelar e chegar a um acordo. Mas cabe aqui algumas considerações: o belíssimo monumento de João Gilberto, feito por um artista mineiro custou cerca de 120 mil reais e é, como seria o painel de Ruy Carvalho, um patrimônio cultural para a posteridade. Outra coisa: o mesmo município que investe alto em publicidade, diz que não tem condições de investir numa obra de qualidade feita por um artista juazeirense. Lamentável!”, concluiu Ruy Carvalho.

Entramos em contato com a assessoria da Secretaria de Cultura, Turismo e Esporte que, em nota, prestou o seguinte esclarecimento:

A Secretaria de Cultura, Turismo e Esporte esclarece que o mural no paredão de pedras no espaço do Vaporzinho, na orla 2, é uma parceria com professores e estudantes do Curso de Artes Visuais da Univasf, sem ônus para o município. A Secretaria informa ainda que não firmou nenhum contrato com o artista Rui Carvalho, o que demandaria recursos do orçamento municipal. Também reitera que respeita os artistas, e a produção artística. A arte realizada no paredão em nada faz referência ao esboço idealizado pelo artista plástico Rui Carvalho.

Da Redação
Preto no Branco

Um comentário:

  1. ANAÍLTON. VALEU A RESPOSTA , OTONIEL GONDIM!3 de outubro de 2017 21:23

    ADALBERTO MARIANO, OUVI O PROFESSOR OTONIEL GONDIM DANDO A SUA POSIÇÃO SOBRE ISSO : " LAMENTÁVEL TRATAR UM GRANDE ARTISTA RENOMADO E DA CIDADE DE FORMA TÃO IRRELEVANTE E LAMENTÁVEL! ". CONCORDO PLENAMENTE COM OTONIEL GONDIM.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário.

ORTHO100

ORTHO100
.