RADIO WEB JUAZEIRO : CLIMA TENSO NA CÂMARA DE VEREADORES DE PETROLINA

quarta-feira, 28 de março de 2018

CLIMA TENSO NA CÂMARA DE VEREADORES DE PETROLINA

Interrupções nos discursos gera embate entre vereadores: “Faça silêncio, fique calado”

por Karine Paixão 


Em meio as explanações sobre projeto que definiu o reajuste salarial dos servidores municipais na sessão desta terça-feira (27), dois embates chamaram a atenção em meio uma prática comum entre os parlamentares. Repetidas vezes era possível perceber que em meio aos discursos dos vereadores de oposição, algum situacionista fazia uma intervenção, gerando a interrupção da palavra daquele parlamentar. Porém essa atitude gerou um pedido de respeito e até um toma lá da cá com o membro da oposição interrompendo a fala de um integrante da situação. 

Tudo começou quando o vereador Gilmar Santos (PT) cobrava do Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina uma postura mais combativa nas questões sociais. Quando comparava a produtividade de um professor com um vereador da Casa ele foi interrompido pelo vereador Zenildo (PSB) por este acreditar que o petista estava fugindo do tema proposto pelo projeto de reajuste. “Agora imagina comparar um professor que trabalha 100 horas ganhando R$ 1.300 outro que trabalha 200 horas para cuidar da educação infantil, R$ 2.667 tendo que cuidar dos filhos e filhas de diversos trabalhadores, em grande quantidade sem condições e a gente imaginar que um vereador desta casa recebe R$ 15 mil, com os descontos, R$ 11.300, para chegar aqui nesta casa hoje com uma hora de atraso, fazer um discurso fascista de promoção ao ódio, presidente da Comissão de Direitos Humanos, recebendo R$ 11.300 mil, não apresentou nenhuma justificativa oficial porque saiu. Eu desafio se ele tem apresentado alguma justificativa oficial. Passou aqui meia hora por R$ 11.300 sendo que quem paga esse salário...” e nesse momento houve a interrupção. 

Gilmar Santos não gostou e solicitou que o colega o respeitasse pois estava com a palavra. “Você me respeite, faça silêncio, fique calado e respeite a minha palavra. Eu estou com a palavra. Faça silêncio, o senhor me respeite”. 

“Eu estou lhe respeitando, eu não tenho medo de você”, rebateu Zenildo que foi contido pelo presidente da mesa diretora, Osório Siqueira.

A sessão teve prosseguimento, quando, antes de conceder o direito da palavra ao vereador Zenildo, Osório tentou apaziguar a situação convocando todos a baterem palmas para o situacionista que estava aniversariando. “Vamos registrar, parabenizar e pedir a todos, não é vereador Gilmar?! Vamos bater palmas para o vereador Zenildo que está aniversariando hoje”. Porém o vereador Gilberto Melo não perdeu a chance de colocar lenha na fogueira. “Vereador Gilmar deu um grande presente a Zenildo hoje”, disparou. 

Quando Zenildo começou seu discurso, falou sobre a abertura do diálogo entre o Sindsemp e a Prefeitura de Petrolina “Eu ouvi o companheiro aí reclamando que no ano passado o prefeito Miguel Coelho não dialogou, não sentou para discutir a respeito do reajuste e nós sabemos que o ano passado foi um ano de arrumação e eu fiquei feliz, Walber, porque ele sentou com vocês esse ano mesmo com a dificuldade, a receita muito pouca na nossa cidade, mesmo assim ele fez de tudo pra poder realmente atender aos anseios de vocês. A gente sabe que é muito pouco, a gente entende”.

Mas, em seguida começou a rebater as críticas feitas pelos colegas sobre a falta de medicamentos nas unidades de saúde. “Eu via aí muita gente reclamando a respeito das dificuldades do Município, de companheiro reclamando de algumas dificuldades nos postos de saúde. Mas não foi apenas nessa gestão”. 

Atento a situação, o vereador Gabriel Menezes deu o troco e interrompeu o aniversariante cobrando uma postura coerente. “Discuta o projeto vereador, o senhor estava reclamando do companheiro Gilmar agora. Para o senhor ver que faz a mesma coisa. Hipocrisia pura”.

Zenildo rebateu. “E tem gente aqui dizendo que homens aqui dessa terra não fazem nada. Eu acho que esse rapaz não é daqui do município, porque se a gente for tirar as grandes obras e os grandes prefeitos que passaram pela nossa cidade, Petrolina não é nada”. 

“Olha a gasolina, vereador”, debochou Gabriel Menezes. 

“Você não é educado, eu estou com a palavra. Tem gente que diz que vai fazer campanha pra não votar em ninguém. Eu quero ver. Ele é mentiroso e disse que o Nova Semente ia acabar. Eu estou com a palavra”, reforçou Zenildo. O situacionista ainda taxou novamente o colega de “mentiroso”. “O senhor é mentiroso, falou que ia fazer uma campanha pra ninguém votar em ninguém”.

“Principalmente no senhor”, disparou em resposta Menezes. Ao fundo era possível ouvir as gargalhadas da vereadora Cristina Costa.

Por fim, Osório Siqueira encerrou o embate. “Vamos discutir o projeto e deixar as discursos paralelos para lá”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.