RADIO WEB JUAZEIRO : MÉDICOS BANDIDOS
terça-feira, 9 de janeiro de 2018

MÉDICOS BANDIDOS

Médico flagrado na 'farra do ponto' pede exoneração, diz Secretaria Estadual de Saúde

Cirurgião plástico Newton Canicoba foi flagrado registrando entrada, deixando o Conjunto Hospital de Sorocaba (SP) e só voltando no fim do expediente. Além dele, outros dois profissionais foram flagrados pela TV TEM e pelo G1.

Por G1 Sorocaba e Jundiaí
Cirurgião Newton Canicoba foi flagrado fazendo compras enquanto deveria atender pacientes (Foto: Reprodução/TV TEM)

O cirurgião plástico Newton Canicoba, flagrado no esquema da "farra do ponto" no Conjunto Hospitalar de Sorocaba (SP), pediu exoneração do cargo, conforme informou a Secretaria de Estado da Saúde nesta terça-feira (9).

Newton e outro médico, além de um dentista, foram flagrados pela TV TEM e pelo G1 dando entrada no hospital, saindo e voltando somente no fim do expediente para bater o ponto. A denúncia foi exibida com exclusividade pelo Fantástico no domingo (7).

A denúncia motivou investigação do Ministério Público, Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) e da própria Secretaria de Estado da Saúde, que criou uma comissão para apurar a conduta dos profissionais.
Médicos batem o ponto e saem da unidade (Foto: Reprodução/TV Globo)

Newton Canicoba recebia R$ 7.918,97 por uma plantão de 20 horas semanais. Nas imagens veiculadas na reportagem, ele aparece estacionando o carro na vaga de táxi para bater o ponto e, logo em seguida, sai do CHS.

Em outro dia, ele estaciona a moto em uma vaga exclusiva para idosos para registrar o horário de entrada no hospital. Ao invés de cumprir a jornada do plantão, o médico foi flagrado indo para uma clínica particular, voltando para casa e até fazendo compras.

Questionado pela repórter Daniela Golfieri sobre a prática, o médico correu e, 30 minutos depois, justificou dizendo que havia esquecido a caneta e o carimbo em casa, itens que seriam essenciais para o desenvolvimento da função no hospital.

Além disso, Newton alegou que comprou um controle de ar-condicionado pois o equipamento não é oferecido pelo Estado.
Newton Canicoba deveria cumprir plantão de 20 horas por semana no CHS (Foto: Reprodução/TV TEM)

Comissão

A Secretaria Estadual de Saúde criou uma comissão para apurar a denúncia da "farra do ponto" feita em reportagem da TV TEM e do G1. De acordo com a portaria publicada desta segunda-feira (8), três profissionais foram nomeados para compor a comissão. O médico Elmir de Souza Cardim Filho vai presidir a apuração preliminar junto com Luciane Pereira de Oliveira e Isonel Cortez.

De acordo com a secretaria, o grupo esteve no CHS na manhã desta terça-feira (9). A comissão terá 30 dias para concluir a investigação, cujo resultado será encaminhado ao Cremesp e demais órgãos competentes.

O Ministério Público e o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) também vão investigar a conduta dos médicos Francisco Manoel dos Santos Mendes e Newton Canicoba e do cirurgião dentista Elias Agostinho Neto. 'Farra dos Pontos'
Dentista Elias Agostinho Neto atende pacientes em consultório particular ao invés de permanecer no CHS (Foto: Reprodução/TV TEM)

'Farra do ponto'

Uma reportagem da TV TEM e do G1 denunciou o esquema, no domingo (7). A equipe flagrou dois médicos e um cirurgião dentista que recebem salário mesmo sem atender pacientes.

As imagens mostram quando eles registram a entrada, deixam o hospital e só voltam no fim do expediente para marcar a saída.

Neste meio tempo, o médico anestesista Francisco Manoel dos Santos Mendes, o cirurgião dentista Elias Agostinho Neto e o cirurgião plástico Newton Canicoba vão para casa, padaria ou academia, fazem compras e até atendem pacientes em clínicas particulares. A equipe localizou os médicos e cobrou explicações sobre a suspeita.

O Conjunto Hospitalar de Sorocaba atende mais de três milhões de pessoas de 48 municípios da região. Estado repassa mais de R$ 176 milhões por ano para o funcionamento do hospital.
Anestesista Francisco Mendes foi flagrado na academia durante horário de expediente no CHS (Foto: Reprodução/TV TEM)

Visita do Cremesp

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo esteve no CHS na semana passada e constatou a falta de profissionais no sistema de urgência e emergência, além de problemas na infraestrutura do pronto-socorro. A entidade afirma que vai investigar a denúncia.

De acordo com o presidente do Cremesp, Lavínio Nilton Camarim, relatórios serão encaminhados às autoridades e, em seguida, a entidade vai instaurar uma sindicância para apurar a prática mostrada na reportagem.

"Se realmente houver infração, o médico poderá receber desde uma advertência até mesmo a suspensão ou cassação do exercício profissional, se isso ocasionou a morte de paciente."

Lavínio ressalta que, em regime de plantão, a entidade orienta os médicos a jamais abandonarem o hospital, exceto quando não tem alimentação ou banheiros no local de trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.