RADIO WEB JUAZEIRO : REDE PEBA ESTÁ PRÓXIMO DO LIMITE
terça-feira, 3 de abril de 2018

REDE PEBA ESTÁ PRÓXIMO DO LIMITE

Superlotado, Hospital Universitário chama atenção para atendimentos e Rede PEBA: 'estamos chegando no limite operacional'

por Gabriela Canário 


O Hospital Universitário de Petrolina (HU) emitiu uma nota na última semana explicando os motivos pelos quais não está atendendo diversos pacientes que chegam a unidade, principalmente, enfermos que precisem de ventilação mecânica ou que estejam na iminência de necessitar de entubação e consequente ventilação mecânica. O HU informou que a Central Interestadual de Regulação de Leitos (CRIL) e a Rede Interestadual Pernambuco e Bahia (PEBA) já foram comunicados sobre esta situação, assim como suas possíveis consequências e estão cientes da total extrapolação da capacidade de atendimento hospitalar que hoje se reflete em uma taxa de ocupação de quase 150%.

O Chefe de Regulação e Avaliação em Saúde do HU, Saulo Bezerra Xavier, explicou que “em nenhum momento houve o fechamento dos atendimentos no hospital”, apesar de alguns veículos de comunicação terem repercutido dessa forma. “A nossa comunicação foi uma tentativa de dizer que estamos chegando no limite operacional e que isso põe em risco todo o atendimento operacional. [O objetivo da nota] era intensificar os meios de prevenção e dizer que mandem para cá apenas os casos mais complexos. Cada um tem que assumir o seu papel [na Rede PEBA]. Não podem chegar casos de baixa complexidade”, explicou.

Rede PEBA

O profissional se refere ao atendimento que é oferecido por cada órgão que faz parte da Rede Interestadual de Atenção à Saúde do Vale do Médio São Francisco – mais conhecida como Rede PEBA. “A gente tem que entender que uma das propostas firmadas em 2009 era definir os papéis e existem as unidades que são referências em cada atendimento”, afirmou Bezerra.

O sistema, considerado pioneiro, tem integrado os serviços municipais e estaduais em uma única gestão e otimizado os atendimentos de alta complexidade em Pernambuco e Bahia. Em Juazeiro, o Hospital Regional; e em Petrolina, o Hospital de Trauma e o Hospital Dom Marlan. Um grande avanço na Rede, de acordo com Bezerra, são reuniões a cada dois meses sobre o funcionamento da rede. “A gente acredita em dias melhores. A gente precisa passar essa garantia para o cidadão”.

Problemas no PEBA

Um desafio é o número de agravos que geram internamentos. Bezerra explica que a problemática é nacional e que 80% dos problemas deveriam ser resolvidos no serviço primário – casos mais simples. Entretanto, o que tem ocorrido é a superlotação dos hospitais. No caso do HU, o órgão atende pacientes de mais de 50 municípios e se encontra com toda a infraestrutura de suporte à vida (nas Salas de Emergência e Unidade de Tratamento Intensivo) totalmente ocupada e sobrecarregada.

Dos 19 leitos, seis estão sem funcionar porque estão “bloqueados por recursos humanos para os critérios mínimos”. O chefe de regulação afirma que o Hospital possui um deficit, mas anseia por melhorias emergenciais. “O nosso concurso está em vigência dentro do prazo [para novas contratações]. A gente tem grande esperança de resolver essa situação. É fundamental dentro da nossa realidade a volta desses seis leitos”, explicou.

Entretanto, a abertura destes não significa grandes modificações. “Mesmo com seis leitos a mais, aquilo ali vai continuar. A demanda que recebemos chega a ser insustentável. Mas fazemos de tudo para oferecer qualidade. Temos funcionários que dão tudo de si e não têm culpa dessa situação”, enfatizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.