RADIO WEB JUAZEIRO : USO DA MACONHA
quinta-feira, 19 de abril de 2018

USO DA MACONHA

Maconha alivia estresse e ansiedade, mas pode piorar depressão no longo prazo
Resultado de imagem para maconha

Agência O Globo


Fumar um baseado pode aliviar os níveis de depressão, ansiedade e estresse, mas, no longo prazo, pode contribuir para a piora da depressão, alertam cientistas da Universidade Estadual de Washington. Trata-se do primeiro estudo científico a avaliar o impacto do uso da maconha medicinal, com diferentes níveis de tetrahidrocanabinol (THC) e canabidiol (CBD), fora dos laboratórios.

"As pesquisas existentes sobre os efeitos da cannabis na depressão, na ansiedade e no estresse são muito raros e foram feitas quase exclusivamente com pílulas orais de THC administradas em laboratórios", afirmou Carrie Cuttler, professora de Psicologia e líder do estudo publicado este mês no “Journal of Affective Disorders”. "O que é único no nosso estudo é que analisamos a cannabis inalada por pacientes que usam maconha medicinal no conforto de suas casas".

Participaram do estudo 561 pacientes para analisar os impactos da maconha sobre a depressão; 770 para avaliar a ansiedade e 726 pessoas para a ansiedade. Eles foram convidados a responder um questionário antes de fumar e 20 minutos depois. Ao todo, foram avaliados quase 12 mil eventos de uso da droga.

Os resultados variam de acordo com a composição química da cannabis, mas em geral todos relataram alívio dos sintomas. Uma tragada de maconha com altos níveis de CBD e baixo THC apresentou a melhor redução dos sintomas da depressão. Dois tragos de qualquer tipo de maconha foram suficientes para reduzir os sintomas de ansiedade e, para a ansiedade, o ideal são dez tragadas de cannabis com alto CBD e THC baixo.

"Muitos usuários parecem seguir a ideia falsa de que quanto mais THC melhor", disse Carrie. "Nosso estudo mostra que o CBD é um ingrediente muito importante da cannabis e pode potencializar alguns dos efeitos positivos do THC".

Os pesquisadores perceberam que o alívio dos sintomas aconteceu em ambos os sexos, mas as mulheres relataram redução maior na ansiedade após o uso da droga.

Entretanto, os pesquisadores alertam que existem evidências de que os medicamentos antidepressivos são eficientes no curto prazo, mas o uso prolongado contribui para a piora da depressão. O estudo não avalia o impacto do uso da maconha no longo prazo, mas “a cannabis pode mascarar temporariamente os sintomas, mas não efetivamente promover a melhora no longo prazo”.

Os dados foram coletados pelo aplicativo Strainprint, de uma empresa que fornece maconha medicinal para pacientes e mede como diferentes doses de diferentes tipos de cannabis afetam vários sintomas. Os usuários são convidados a dar uma nota de um a dez aos sintomas que experimentam antes de fumar e 20 minutos após o uso, informando o número de tragadas e repetindo as perguntas sobre o bem-estar.

"Atualmente, usuários de maconha médica ou recreativa confiam nos conselhos de colegas que são baseados em anedotas, não em evidências científicas", disse Carrie.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.