RADIO WEB JUAZEIRO : 112 ANOS DE CONDENAÇÃO PARA HOMEM QUE MATOU A FAMÍLIA NO INCÊNDIO
sexta-feira, 11 de maio de 2018

112 ANOS DE CONDENAÇÃO PARA HOMEM QUE MATOU A FAMÍLIA NO INCÊNDIO

Acusado de matar a família em incêndio é condenado a 112 anos

Miriam Hermes

O Julgamento, que durou cerca de 10 horas, ocorreu um ano e quatro meses depois do crime


O comerciante Gilson de Jesus Moura, de 50 anos, acusado de atear fogo na casa da família e matar seus três filhos de 8, 9 e 13 anos, a enteada de 16 anos e o filho dela, em Feira de Santana (distante a 119 km de Salvador), foi condenado por júri popular a 112 anos de prisão, nesta quinta-feira, 10.

Ele também foi condenado por um aborto e duas tentativas de homicídio. O julgamento, que durou cerca de 10 horas no Fórum Filinto Bastos, aconteceu um ano e quatro meses após o crime. Ele, que alegou ter tido um surto durante uma crise de ciúmes, colocou fogo na casa da família no dia 4 de janeiro do ano passado.

De acordo com depoimento de vizinhos, as vítimas chegaram a acordar, mas não conseguiram sair de dentro do quarto, onde morreram carbonizadas. A mulher de Gilson e uma filha do casal, de três anos, foram salvas pelos vizinhos, que conseguiram arrombar a porta antes que o fogo tomasse conta de todo o imóvel. No entanto, as duas ficaram feridas.

Gilson colocou fogo na casa enquanto a família dormia
 (Foto: Lúcio Távora | Ag. A TARDE | 04.01.2017)

Requintes de crueldade

O julgamento foi presidido pela titular da Vara do Júri da comarca de Feira de Santana, juíza Márcia Simões Costa. A acusação argumentou que os crimes cometidos tiveram requintes de crueldade.

Enquanto o Ministério Público pediu a pena máxima ao réu - lembrando que ele jogou gasolina nos móveis da família, colocou fogo e trancou a casa com todos dentro -, a defesa pediu a absolvição, refutando a qualificação de motivo fútil, a acusação de feminicídio e responsabilidade do réu sobre o aborto, considerando que uma das vítimas estava grávida.

Durante as investigações, testemunhas revelaram que Gilson sempre teve ciúmes da companheira e que, inclusive, haviam terminado por causa das brigas e agressões que ela sofria. Entretanto, antes da tragédia, reataram o relacionamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.