RADIO WEB JUAZEIRO : ÁLBUNS ANTIGOS VALEM MAIS QUE UM CARRO
sexta-feira, 11 de maio de 2018

ÁLBUNS ANTIGOS VALEM MAIS QUE UM CARRO

Figurinhas e álbuns antigos são anunciados por até R$ 30 mil

O colecionador Rafael Sturm recebeu do pai um álbum da Copa do Mundo de 1970, ano que nasceu
 Foto: Luciano Ferreira / Extra

Luciano Ferreira*

A paixão do brasileiro por figurinhas é antiga e vai muito além da Copa do Mundo. Na internet, álbuns completos e cromos avulsos de uma série de outras coleções de velhos tempos são facilmente encontrados. E eles têm feito o maior sucesso, mesmo com o preços inflacionados. Um exemplar do álbum A Hollandeza, primeiro a ser lançado no Brasil, em 1934, chega a ser negociado por até mil reais na internet. Além dele, as famosas estampas dos sabonetes Eucalol, uma das mais duradouras coleções de figurinhas do Brasil, distribuídas entre 1926 e 1957, estão entre os produtos mais ofertados. Um conjunto de 217 séries da coleção (das mais de 300 lançadas) custa até R$ 9.500. O mais caro é o álbum da Copa de 1950, que pode ser adquirido hoje na internet por R$ 29.990.

“A Hollandeza”, o primeiro álbum nacional, de 1934 
Foto: Reprodução

O futebol também guarda as suas relíquias colecionáveis. Um exemplar da Copa de 1950, com todas as figurinhas coladas, pode valer incríveis R$ 29.900. Segundo um anunciante, há apenas 15 desses exemplares completos ao redor do mundo. Aquela Copa foi a primeira a contar com álbum nacional de figurinhas, daí o alto valor cobrado pela relíquia.

Figurinhas do “Amar é...”: febre nos anos 1980
 Foto: Reprodução

O fotógrafo paranaense Rafael Sturm, de 47 anos, conta que recebeu do pai um álbum da Copa de 1970, ano em que nasceu. Das 297 figurinhas daquela edição, faltam apenas oito para ele completar o álbum. Como ganhou de presente do pai, ele conta que pretende deixar a coleção para os filhos, assim como a paixão pelas coleções:

Álbum da Copa de 1970
 Foto: Luciano Ferreira / Extra

— Eu tenho visto muitos anúncios na internet de figurinhas antigas, então, talvez eu possa encontrar as que estão faltando. Colecionar é algo muito especial, não é apenas uma brincadeira. Não tem o que pague o brilho nos olhos de uma criança que acaba de ganhar a figurinha que completa o álbum.

A história dessa diversão foi até tema da dissertação de mestrado. Em 1990, o diretor editorial Paulo Cezar Goulart pesquisou durante nove anos o surgimento da indústria de figurinhas e álbuns no Brasil. Confira algumas curiosidades:

O mais antigo: O 1ª álbum nacional de que se tem registro foi A Hollandeza, de 1936. As figurinhas tinham ilustrações de cidades, animais, flores e dirigíveis.

Figurinhas: As famosas estampas de sabonete Eucalol foram produzidas por 31 anos, de 1926 até 1957. Inicialmente, não eram autoadesivas.

Estampa do sabonete Eucalol 
Foto: Reprodução

Futebol: Os primeiros cromos com jogadores surgiram só em 1922, mas apenas em 1950 uma Copa teve álbum feito no Brasil.

De cigarros a balas: As primeiras figurinhas do Brasil eram brindes de cigarros. Como os colecionadores eram principalmente crianças, passaram a oferecer em balas.


* estagiário sob supervisão de Giampaolo Braga

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.