RADIO WEB JUAZEIRO : COMPESA DE DEFENDE DE MULTA MILIONÁRIA

.

.

terça-feira, 22 de maio de 2018

COMPESA DE DEFENDE DE MULTA MILIONÁRIA

Após multa milionária, gerente nega que ligação clandestina seja de autoria da Compesa


Após a aplicação de uma multa milionária na Compesa por ligação clandestina de esgoto, por causa de um crime ambiental praticado pela companhia, de acordo com a prefeitura, o gerente regional afirmou não reconhecer a obra como sendo de autoria da companhia de esgotos e que vai recorrer da decisão num prazo de até 10 dias úteis.

Segundo a Prefeitura de Petrolina, a partir de um trabalho de investigação de ligações clandestinas de esgoto, foi constatado que o sistema de saneamento do Bairro Atrás da Banca estava ligado numa galeria pluvial que tinha o Rio São Francisco como destino. A ligação clandestina de esgoto foi encontrada numa rede localizada sob o cruzamento das Fernando Reis e do Trabalho, na região central da cidade. Daquele ponto, os efluentes desaguavam, sem qualquer tratamento, na Orla II de Petrolina, nas proximidades de dois restaurantes.

Em entrevista ao Nossa Voz, João Raphael explicou que a Compesa não tinha conhecimento do caso e que já foi feita a correção. “A gente não compactua com esses tipos de práticas, com ligações clandestinas. A gente vem combatendo há dois anos as ligações clandestinas, retiramos todos os esgotos ali da Orla I de Petrolina. Na Orla II, conseguimos reduzir em 80% os esgotos que eram lançados no Rio. Dentro desses dois anos a gente encontrou diversas ligações clandestinas […] é uma prática comum. Não tínhamos conhecimento e assim que tomamos a gente fez a correção de imediato”, explicou.


Ainda de acordo com o gerente, o material empregado na obra clandestina não é de uso padrão da Compesa. “[O material] estava em um poço de visita nosso, estava extravasando para uma galeria pluvial, mas o material aplicado não é um material utilizado pela Compesa o que nos leva a crer que não foi uma obra realizada pela Compesa”, defendeu. Segundo a prefeitura, a quantidade de esgoto que ia parar no Velho Chico estava muito acima do que é tolerado pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente.

Questionado sobre as fiscalizações, o gerente explicou que esse é um trabalho que vem sendo desenvolvido, dentro das limitações, pela Compesa. Mas que essa é uma obrigação do município. “Essa não é função da Compesa apesar de fazermos sim por conta da responsabilidade social […] mas essa é uma função do órgão ambiental do municipal […] como também o tamponamento das redes porque as galerias são da Prefeitura. Mas ao longo desses dois anos temos feito isso em parceria”, explicou.

Além da multa de R$ 20 milhões, pelo crime ambiental, também foi estipulada uma multa diária de R$ 5 mil até que o problema foi resolvido. A Compesa foi notificada na tarde última segunda-feira (14) e tem até 10 dias a contar desta data para apresentar defesa à AMMA ou realizar o pagamento da multa. A AMMA atuou a Compesa com base nos artigos 61 e 62 do Decreto Federal 6514/08, que tratam de causar poluição e lançar resíduos no meio ambiente, e ainda na resolução 430 de 13 de maio de 2011, que dispõe sobre as condições e padrões de lançamento de efluentes.

 Gabriela Canário 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.