RADIO WEB JUAZEIRO : MÃE PERDE GÊMEOS E ACUSA HOSPITAL DE NEGLIGÊNCIA
terça-feira, 8 de maio de 2018

MÃE PERDE GÊMEOS E ACUSA HOSPITAL DE NEGLIGÊNCIA

Uma das crianças nasceu quando a mulher foi ao banheiro


Mãe das crianças deu entrada na unidade médica na manhã de quarta-feira (2), mas só deu a luz no domingo (6)

Foto: Reprodução/TV Sudoeste
 VN

Uma mulher de 42 anos que estava grávida de 8 meses e meio, de gêmeos, perdeu as duas crianças e a família acusa um hospital da cidade de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, de negligência.

A família disse que o hospital não prestou atendimento adequado à gestante. Um dos bebês, segundo os parentes, nasceu quando a mãe foi ao banheiro da unidade de saúde. O outro nasceu na sala de parto, mas também já estava morto. O caso ocorreu no Hospital Esaú Matos. A mãe das crianças, Marizete Teixeira Santos, deu entrada na unidade médica na manhã de quarta-feira (2), mas só deu a luz no domingo (6). Nesta segunda-feira (7), o pai das crianças registrou um boletim de ocorrência na Polícia Civil.

Conforme os parentes, Marizete teve uma gestação tranquila e fez todos os exames de pré-natal. Antes de ser levada para o hospital, ela sentiu dores e procurou um posto de saúde do bairro onde mora, em Conquista. De lá, foi encaminhada para o Esaú Matos.

Um relatório assinado por uma ginecologista aponta que Marizete estava na 34ª semana de gestação quando foi para a unidade de saúde. A família conta que foi feita uma ultrassom no hospital e que os médicos disseram que os bebês estavam com baixo peso e que, por conta disso, não seria possível fazer o parto.

A mãe continuou na unidade de saúde e, no sábado (5), voltou a sentir dores e a perder líquido. Somente no domingo os bebês nasceram, sendo um deles no momento em que Marizete foi ao banheiro junto com o marido.

Logo após o nascimento da primeira criança, ela foi socorrida por uma enfermeira, colocada em uma maca e, em seguida, teve o segundo bebê, que também já nasceu morto. Marizete e o marido, Gilmar de Souza Santos, têm outras duas filhas, de 23 e 16 anos.

A Fundação de Saúde lamentou o ocorrido e disse que está empenhada em averiguar os fatos, por meio da Comissão de Investigação de Óbitos do hospital, para que as providências necessárias sejam tomadas. A Fundação ainda ressaltou que está prestando todo acompanhamento social e psicológico à família.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.