RADIO WEB JUAZEIRO : PARCERIA
segunda-feira, 28 de maio de 2018

PARCERIA

Conceito de lojas integradas traz facilidades para empresários e consumidores

Igor Andrade | A TARDE SP

Empresárias montaram o primeiro espaço colaborativo de festas de Salvador


Em tempos de crise ter uma boa ideia é uma ótima ferramenta para se destacar no mercado e se manter competitivo. Pensando nisso, nos últimos anos vem crescendo no Brasil a tendência de lojas colaborativas. De acordo com Sebrae, o conceito de lojas colaborativas de serviços, são aquelas que ofertam, em um único espaço, serviços afins e complementares.

Por conta das vantagens econômicas que esse modelo de empreendimento coletivo proporciona, esse tipo de loja é uma alternativa vantajosa para os empresários de pequenos negócios compartilharem custos, divulgarem e comercializarem seus produtos e serviços, contribuindo para a fidelização de um público consumidor e, consequentemente, para a consolidação da marca ou imagem dos produtos ou serviços no mercado.

De acordo com o estudo de Economia Colaborativa na América Latina, conduzido pela escola de negócios IE Business School, atualmente, o país é líder no território latino-americano em iniciativas seguindo esse formato.

Com o intuito de ofertar em um único espaço de serviços correlatos e complementares, as empresas que compartilham esse modelo de negócio prezam pela praticidade de ofertar uma experiência de compra completa para os consumidores.

Pensando nisso, as empresárias Ana Paula Bastos, da Docices da Vovó Quinha; Mariana Martins, da Decora Doces; Marana Brinco, da Alugue para Festas; Manuela Macedo, do Balcão Gourmet; Greice Pires, da Ballons Designers e Julia Jobim, da Violeta Floricultura uniram suas experiências no ramo de festa e montaram o primeiro espaço colaborativo de festas de Salvador, o Ateliê de Festas.

Localizado na Av. Oceânica, no Rio Vermelho, o espaço é ideal para quem desejar montar desde uma pequena festa de aniversário até um casamento, é o que explica Ana Paula Bastos. “Quando o cliente vem até a loja, hoje ele tem a facilidade de poder montar sua festa completa. Aqui o cliente pode montar desde uma pequena festa de aniversário até uma festa grande de casamento”, diz.

Idealizadora do Ateliê, Marana Brinco, afirma que estudou o negócio durante dois anos. “Estudamos esse modelo de negócio durante dois anos, e foi criado para facilitar a vida da mãe, do decorador, pois, se tiver tudo em um só lugar é possível otimizar o tempo que hoje em dia é muito escasso. Além disso, a gente iria agregar valor ao negócio”, afirmou.

Entre os principais diferenciais que o local oferece, a empresária afirma que a praticidade que o cliente encontra no local é um dos principais pontos do sucesso d negócio. “Em Salvador somos os únicos que atendemos nesse formato. Pois, no mercado atualmente encontra ou só a loja de móveis, ou só de flores, ou só de doces. A ideia da loja fornecer todos os componentes em um único lugar facilita a vida do cliente final”, garante.

Comodidade

Uma das grandes vantagens da internet é a comodidade que a compra on-line oferece. Hoje é muito comum encontrar na rede, empresas que oferecem serviços completos para a necessidade e demanda do consumidor sem a necessidade de sair de casa, poupando tempo e dinheiro em alguns casos.

Entretanto, para as empresárias, o contato visual com os produtos são ainda o trunfo principal para chama atenção dos clientes. "Apesar da facilidade da internet, o cliente gosta de ter o contato com o produto, traz muito mais credibilidade", afirma Mariana Martins.

“A principal diferença entre o físico e o on-line, é que o cliente pode ver a peça, pode verificar a textura, é possível ver as peças montadas na mesa, aqui quando o cliente vem alugar ele não leva nem a mais, nem menos”, afirma Marana.

Composição

Segundo Ana Paula, a qualidade e quantidade dos materiais apresentados também servem como um forte atrativo na hora de finalizar a compra. “Aqui possuímos um acervo para ajudar na composição dos cenários, na decoração, no arranjo das flores, os doces, tudo”, afirmou.

Para Renata Duarte que estava fechando a festa de aniversário do filho da prima, compra em lojas compartilhadas ajuda em todo o processo de montagem da festa. “A grande vantagem daqui para internet é ver os produtos, além disso, outra facilidade para o cliente é quando os atendentes mintam a mesa para você, pois, você vem com uma ideia para cá e ele conseguem montar justamente aquilo que você está pensando.

Quem vende sabe, muito mais que finalizar a compra de um produto, o cliente espera por praticidade, comodidade, bons fornecedores e principalmente preço baixo para garantir a aquisição do produto.

Pensando nisso, o Ateliê garante que trabalha com produtos e preços que atendem a demanda do consumidor.

“Trabalhamos com o preço na demanda do cliente, ou seja, o ticket médio vai depender muito do que o cliente precisa, que pode ser uma festa pequena até uma festa grande”, afirmou Marana.

Visitando a loja pela segunda vez, a empresária Renata Duarte, apoia o modelo de lojas compartilhadas e ficou satisfeita com a praticidade que o Ateliê proporcionou para fechar a festa. “Conheci a loja quando estava fazendo a primeira comunhão da minha filha, mas na época, aqui só tinha o Alugue para Festas e as forminhas e hoje para minha surpresa acabamos encontrando tudo em um local só.

Trouxe minha prima para resolver as coisas da festa de batizado do filho dela e acabamos fechando tudo, as flores, os doces da Vovó Quinha, os balões. Encontrar tudo isso em um lugar só facilita em muito a vida para o cliente”, afirmou.Com discursos alinhados com os clientes, as empresárias ressaltam que a praticidade é o principal atrativo da loja.

“Às vezes que vem para um serviço acaba descobrindo outro e outro”, afirma Júlia Jobim. Para Gleice Pires, a gama de serviços só traz benefícios. “O cliente chega aqui consegue fechar tudo, isso facilita muito, existem várias possibilidades e ele acaba fechando outro serviço, mesmo que ele venha em busca de um único serviço”, garante.

Indicação essa, que para Manuela Macedo, auxilia não só os clientes como também as empresas em fechar os serviços. “O cliente vem buscar comodidade e acaba puxando uma empresa para outra”, afirma. Renata acredita que iniciativas como essa deveria ser mais explorada na cidade. “Propostas como essas deveria ter mais na cidade, pois, facilita em muito a vida do cliente”, disse a empresária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.