RADIO WEB JUAZEIRO : HISTÓRIA DE AMOR
terça-feira, 12 de junho de 2018

HISTÓRIA DE AMOR

Casal se reencontra após mais de 20 anos e se casa no Dia dos Namorados

Renata e Kermme em ensaio antes do casamento em São Félix do Xingu
 (Fotos: Arquivo pessoal)

Dani Braga

O primeiro Dia dos Namorados de Kermme Rebouças, 38, e Renata Fernandes,38, foi em 1992, ano em que, ambos com 13 anos, iniciaram um namorico em São Félix do Xingu, no Pará. A data mais significativa, porém, acontece só 26 anos mais tarde, neste 12 de junho de 2018, dia em que o casal sobe ao altar.

Kermme se encantou por Renata quando ela era “a balconista mais linda que o Xingu já teve”, segundo ele. Muito novo, ele se contentava em admirá-la enquanto tomavam sorvete de cupuaçu e conversavam. Foi assim até a irmã mais velha de Renata, que estava começando a namorar, bolar um plano para que a irmã mais nova não revelasse aos pais o relacionamento. A ideia era arranjar um namorado para Renata também, assim, uma teria a outra como cúmplice, e o escolhido foi o garoto que já arrastava com caminhão por ela, Kermme.

Kermme Rebouças e Renata Fernandes quando namoraram durante a adolescência

Ele diz que no primeiro encontro as pernas tremiam muito e eles ficaram o tempo todo apenas segurando a mão um do outro. Nos três meses seguintes, o casal seguiu o mesmo protocolo até acontecer o primeiro beijo. “Pense em algo de outro mundo. Fui ao céu e voltei em questão de segundos”, relembra Kermme. Eles permaneceram com o namoro escondido por seis meses até os pais de Kermme se separarem e ele se mudar repentinamente para Boa Vista (RR), sem conseguir se despedir da namorada.

Quatro anos mais tarde, ele voltou à cidade e no primeiro dia avistou Renata. O namoro recomeçou quase que instantaneamente, agora, com consentimento dos pais da moça. Renata estava se preparando para o vestibular e passava mais tempo em outra cidade, por isso o namoro funcionava por meio de cartas. Até o dia em que Renata enviou uma correspondência terminando o relacionamento.

Quando Renata voltou para São Felix do Xingu, já estava noiva de outro rapaz. Diante disso, Kermme voltou a Boa Vista para estudar e concluir a universidade. Em março de 2001, ela se casou. Em julho, foi a vez dele. “Eu tive dois filhos lindos, e ela, duas moças encantadoras. Nossa história é cheia de coincidências, temos a mesma idade, temos dois filhos e passamos 14 anos casados”, diz Kermme.

Só em 2015, por meio de uma rede social, eles se reencontraram apenas virtualmente. Depois de conversarem sobre filhos e negócios, Kermme contou que tinha se divorciado e se surpreendeu quando Renata disse que estava vivendo o mesmo processo. ” A princípio, pedi que revisse a decisão, mas ela já estava convicta. Recuei com receio das pessoas interpretarem de outra forma. Com o meu distanciamento, ela foi muito enfática e pediu meu contato de WhatsApp. Logo após o divórcio dela, começamos a nos falar todos os dias”.


Renata e Kermme são “só love” após o reencontro ; eles se casam neste ano no Dia dos Namorados

O tête-à-tête ocorreu apenas em 2017, mais de 20 anos depois do fim do namoro. “Tive a mesma sensação de quando fiquei a sós com ela pela primeira vez. As pernas não paravam de tremer, a mãozinha dela gelada e os olhos fixos em mim… O beijo teve a mesma intensidade também”, emociona-se Kermme.

Decidido a ficar com a amada, Kermme pediu exoneração de seu trabalho em Roraima e voltou à cidade onde conheceu Renata para morarem juntos. “Estamos vivendo algo inexplicável, só temos a certeza que queremos ficar juntinhos para sempre”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.