RADIO WEB JUAZEIRO : PESQUISADORES DESCOBREM ÁGUA EM MARTE

quarta-feira, 25 de julho de 2018

PESQUISADORES DESCOBREM ÁGUA EM MARTE

Lago com água líquida é descoberto em Marte pela primeira vez

Planeta Marte em foto divulgada pela Nasa 
Foto: NASA NASA / REUTERS
AFP

Um enorme lago subterrâneo foi detectado em Marte pela primeira vez, o que representa o maior corpo de água líquida já encontrado no Planeta Vermelho, anunciaram cientistas nesta quarta-feira. Localizado a 1,5 quilômetros abaixo de uma camada de gelo marciano, o lago é amplo, com cerca de 20 quilômetros de largura. A descoberta levanta a possibilidade de haver mais água e, talvez, vida em Marte, afirma o texto publicado na revista americana "Science".

— Isso nos tomou longos anos de análise de dados e provas para encontrar um bom método para estarmos seguros de que o que estávamos observando era inequivocadamente água líquida — disse o coautor do estudo Enrico Flamini, cientista chefe da Agência Espacial Italiana.

Segundo a publicação, a presença de água líquida nas calotas polares de Marte já levantava suspeitas dos pesquisadores há 30 anos, mas ainda não tinha sido confirmada. Os cientistas observaram o Planeta Vermelho com um radar de baixa frequência da nave Mars Express, usado em busca de água líquida por mais de 12 anos. O conteúdo coletado entre os anos de 2012 e 2015, de acordo com a "Science", mostra evidências de que há água líquida sob uma camada de gelo no Sul do planeta.

— Este é um resultado assombroso que sugere que a água em Marte não é um escoamento temporal, como foi revelado em descobertas prévias, mas sim um corpo de água persistente que cria as condições para a vida durante largos períodos de tempo — disse Alan Duffy, professor associado da Universidad Swinburne, na Austrália.

Foto mostra local onde foi achado lago subterrâneo em Marte 
Foto: HO / Handout

Saber se outros lugares além da Terra já abrigaram vida é uma das grandes perguntas da ciência e as novas descobertas oferecem evidências promissoras. A água é considerada um ingrediente fundamental para a existência de vida. Os pesquisadores disseram que poderia levar anos para verificar se há vida neste lago, algo que poderia inspirar uma futura missão para perfurar o gelo, a fim de coletar amostrar do líquido.

— Este é o lugar de Marte onde há o que mais se assemelha a um habitat, um lugar onde a vida poderia existir — disse o astrônomo Roberto Orosei, do Instituto Nacional de Astrofísica da Itália, que liderou a pesquisa. — De fato, há organismos terrestes que podem sobreviver e se desenvolver em ambientes similares. Há microorganismos na Terra que são capazes de sobreviver inclusive no gelo.

Marte é agora um planeta frio, árido e desértico, mas há ao menos 3,6 milhões de anos era quente e úmido e tinha grande quantidade de água líquida e lagos. Por anos, cientistas tentam decifrar o que aconteceu com as águas que já estiveram pela superfície do planeta.

Dentro da chamada zona habitável do Sistema Solar, ele era quente o suficiente para ter água, como comprovam estruturas geológicas semelhantes a leitos de rios secos e minerais que só se formam na presença da substância em estado líquido. Porém, em algum momento este cenário foi transformado num mundo frio e deserto. Um estudo publicado no ano passado da revista “Science” defende que esta transformação foi provocada pela perda da atmosfera, varrida por radiação e ventos solares.

Uma pesquisa divulgada pelo "Geology Journal of Geological Society of America" este ano confirmou a existência de lagos há bilhões de anos. Os cientistas atestaram que rachaduras de lama encontradas na superfície, que só se formam quando sedimentos molhados são expostos ao ar, indicavam que Marte passou por ciclos parecidos com os da Terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.