RADIO WEB JUAZEIRO : EM BUSCA DE UM ROSTO
quinta-feira, 16 de agosto de 2018

EM BUSCA DE UM ROSTO

Após tentar suicídio, mulher se torna pessoa mais jovem a passar por transplante de rosto nos EUA

Katie Stubblefield tentou se matar aos 18 anos, com um tiro na cabeça, de acordo com a revista "National Geographic".

Por G1
Capa da Revista National Geographic - Em busca de um rosto
 (Foto: Reprodução)

Katie Stubblefield é a pessoa mais jovem a receber um transplante de rosto nos Estados Unidos. Ela tentou suicídio aos 18 anos com um tiro na cabeça. Anos depois, aos 21 anos, ela participou de uma cirurgia histórica que durou mais de 30 horas no estado de Ohio.

A história é capa da revista "National Geographic" de setembro. A cirurgia ocorreu na Cleveland Clinic e, segundo o texto da repórter Joanna Connors, ainda é feita de forma experimental. Todo o processo foi documentado por médicos e enfermeiros. Esse foi o terceiro transplante de rosto realizado pela clínica.

Antes de tentar suicídio, as fotos de Katie mostram uma jovem com um sorriso largo no rosto. O médico responsável pela operação, Frank Papay, disse que chegou a questionar se a jovem aguentaria passar pelo procedimento em entrevista à revista. Katie tem apenas 47 quilos. Fora isso, era necessário ter pele/tecido suficiente para reconstruir o rosto.

Mas por que uma menina tão jovem tentou se matar?

A repórter conta uma sequência de fatos, incluindo a traição do namorado. Katie descobriu e foi até a casa do irmão, Robert. Eles conversaram sobre como ela se sentia magoada. O irmão ligou para a mãe deles para conversar sobre o assunto. Foi tempo o bastante para Katie apontar um rifle calibre 308 contra a própria cabeça.

O irmão chutou a porta e encontrou Katie coberta de sangue. "O rosto dela sumiu", contou à "National Geographic".

Katie perdeu nariz, parte das bochechas, boca – sobrou só uma parte dos cantos dos lábios. Os olhos permaneceram, mas ficaram gravemente danificados.

Cinco semanas depois da tragédia e do atendimento para conseguir sobreviver, a garota chegou à clínica. Primeiro, os médicos fizeram uma primeira operação. Os cirurgiões precisaram recriar uma passagem nasal e proteger o cérebro - fizeram um nariz rudimentar e um lábio com o tecido das coxas.

"Seu cérebro estava praticamente à mostra, e estamos falando de um momento em que ocorriam convulsões, infecções, e todos os tipos de problemas. Esqueça o transplante de rosto. Estávamos falando de estar vivo", disse Brian Gastman, primeiro médico que atendeu Katie.

Depois de sobreviver, a menina esperou por três anos por uma doadora. Adrea Schneider, 31 anos, além de doar o próprio rosto, ajudou pelo menos sete pessoas com órgãos e tecidos.

A cirurgia de transplante durou 31 horas. Os médicos conseguiram manter as bochechas, a maior parte da testa, as sobrancelhas e as pálpebras. Consertaram o "triângulo do rosto": nariz, boca, conjunto de dentes e queixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.