RADIO WEB JUAZEIRO : A OPINIÃO DE LAURENÇO AGUIAR
terça-feira, 30 de outubro de 2018

A OPINIÃO DE LAURENÇO AGUIAR

Brasil: Jair Bolsonaro tá eleito!... E daí?!


O segundo turno da Eleição 2018 em 28 de outubro, elegeu o deputado federal Jair Bolsonaro/PSL, a presidente da República, com 55,13% dos votos válidos, 57,7 milhões e “legitimidade popular”, contra 44,87% de Fernando Haddad/PT, 47 milhões de eleitores. Em 2014, Dilma Rousseff /PT, teve 54,5 milhões de votos e Aécio Neves/PSDB, 51 milhões — 51,64% contra 48,36%.

Quase todos os principais jornais do mundo enfatizaram hoje o perfil de “extrema direita” de Bolsonaro, revelado em suas falas e posicionamentos. “Extrema direita”, pra quem não sabe, é a tendência mais conservadora (atrasada) da ideologia capitalista por defender e representar o interesse corporativo do capital.

O Brasil é país de cultura, tradicionalmente, capitalista, o que possibilitou à direita no comando do poder de 1500 a 2002, em diversas formas de “conquistas”. A esquerda só conseguiu “tomar o poder” em 2003, depois de ganhar a Eleição de 2002. Essa vitória eleitoral foi possível por duas razões: 1 – o desgaste histórico da direita com à criação e acumulação dos problemas sociais; 2 – o fortalecimento dos movimentos sociais e união dos seus partidos, em maioria. Com um conjunto de projetos e programas sociais, com certo viés socialista, o PT ganhou quatro e leições seguidas.

De 2013 a 2018, uma parte da direita, estando ou não no governo intensificou uma campanha contra o PT (...), marginalizado a política (...), desvalorizando os partido político (...), usando instituições do Estado e seus grandes meios de comunicação (...) a seu favor, depois de ter feito, historicamente, uma formatação direitista de expressiva parte da sociedade (...). Possibilitando, assim, o surgimento de Jair Bolsonaro e o seu populismo, simulado de popularidade, além da vitória eleitoral.

À formação do governo dele, e da respectiva base de sustentação, na Câmara Federal no Senado da República e entre governadores, começou e será concluída com natureza ideológica do centro para a extrema direita, envolvendo partidos tradicionais e orgânicos como DEM; MDB; PSDB; PP; PTB e outros!... Ninguém da esquerda apoiará o governo de Jair Bolsonaro: seja pela extrema diferença ideológica; seja pelo contraste de interesse econômico e social; seja pelo tratamento político e pessoal despolitizado aplicado por ele mesmo. Às ideias de Jair Bolsonaro não assustam mais, por sabe r que à Presidência da República não tem poder absoluto!

Não dá para torcer contra o Brasil. A consciência politizada sabe que uma gestão comprometida com o social e a priorização das pessoas que mais precisam, não cai do céu e nem pode ter relação com os preconceitos e muito menos com o ódio político. Com respeito pessoal ao novo presidente da República e muito mais consideração ao importante cargo a ocupado por ele, seremos oposição política ideológica, sem nos fingirmos não saber que a nossa sociedades já observa e reconhece a sua legítima divisão política, inclusive, a partir de cada municí pio!


Sento-Sé, 29 de outubro de 2018.

Laurenço Aguiar do Nascimento,

Presidente do PT Local.

Um comentário:

  1. ARLETE GOMES. UNEB. POR OTONIEL GONDIM!!!30 de outubro de 2018 12:00

    ADALBERTO MARIANO...POR ANDA O EMÉRITO ESCRITOR OTONIEL GONDIM NESSAS TURBULENTAS HORAS? QUE APAREÇA! O ADORO.

    ResponderExcluir

Obrigado por seu comentário.