RADIO WEB JUAZEIRO : RIO DE JANEIRO PODERÁ LANÇAR MÃO DE SNIPERS NO NOVO GOVERNO
quarta-feira, 31 de outubro de 2018

RIO DE JANEIRO PODERÁ LANÇAR MÃO DE SNIPERS NO NOVO GOVERNO

Proposta de Witzel para 'abater com snipers' dependeria de mudança na lei, diz ministro
Resultado de imagem para SNIPERS
Sniper - Atirador de longa distância e precisão

Raul Jungmann, titular da pasta de Segurança Pública, participou de evento na Firjan ao lado do governador recém-eleito do RJ, Wilson Witzel.

Por Alba Valéria Mendonça, G1 Rio
Raul Jungmann e Wilson Witzel na Firjan — Foto: Alba Valéria Mendonça/G1

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que é ilegal a proposta do governador eleito do Rio, Wilson Witzel, de formar grupos de atiradores de elite para "abater" traficantes.

Jungmann disse que, para ser colocada em prática, a ideia dos "snipers" dependeria de uma mudança na lei federal. Ele não opinou se considera a proposta positiva.

"A proposta precisa passar pelo crivo das leis, da legislação e da justiça. Não podemos ter atividades que não sejam dentro das normas, das leis. E hoje ela (a proposta) não está. Precisa de uma modificação legislativa", disse Jungmann.

Em reunião com o conselho de segurança da Firjan, no Rio, o ministro da Segurança Pública fez um balanço dos oito meses de atividades do ministério.

"Hoje temos um ministério por lei, um sistema unificado por lei, uma política de segurança nacional e recursos, advindos das loterias. A segurança pública pela primeira vez tem rumo e reúne todos os entes da federação", disse o ministro.


Jungman disse que cabe ao futuro governador manter Garantia da Lei e da Ordem (GLO), mas que a intervenção federal que termina em 31 de dezembro não poderá ser prorrogada por ir contra a Constituição.

Combate ao crime organizado

O ministro também destacou que o BNDES, junto com o Ministério da Fazenda, está viabilizando a utilização de parte dos R$ 19 bilhões dos Fundos das Telecomunicações (Fust) para o desenvolvimento tecnológico para o combate do crime organizado no Rio.

"Vamos incentivar a criação do sistema de cercamento eletrônico, que vai permitir a identificarão de cargas, carros roubados, reconhecimento facial para combater o crime. Parte desses recursos vai ser para esse monitoramento. Os dados vão para uma Central que vai fazer esse cerco digital no comando ao crime. E a intenção é depois espalhar esse sistema para todo o território nacional", disse Jungmann.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.