RADIO WEB JUAZEIRO : NOVAS INFORMAÇÕES SOBRE O ACIDENTE EM SÃO PAULO
segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

NOVAS INFORMAÇÕES SOBRE O ACIDENTE EM SÃO PAULO

Testemunha diz à polícia que viu passageiro pular do helicóptero na Rodovia Anhanguera

A vendedora Leilaine da Silva, 29, que estava em uma moto ao lado do caminhão que se chocou contra o helicóptero disse que tirou o caminhoneiro do veículo . No acidente, morreu o jornalista Ricardo Boechat.

Por Tahiane Stochero, G1 SP

Testemunha diz que viu passageiro pular de helicóptero que se acidentou em SP

 

Uma testemunha do acidente com o helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera no início da tarde desta segunda-feira (11), que deixou o jornalista Ricardo Boechat e o piloto mortos, afirmou que viu o passageiro pular da aeronave, que depois caiu sobre ele. Ela também afirmou que tirou o motorista do caminhão atingido pelo helicóptero de dentro do veículo.

"Uma pessoa pulou do helicóptero. O piloto ficou dentro do helicóptero. A pessoa que caiu na pista. Era o que tinha pulado primeiro. Ele pulou na pista, caiu no chão e o helicóptero caiu em cima dele", disse a vendedora Leilaine Rafael da Silva, 29, no 46º Distrito Policial onde o caso foi registrado.

“Mas eu queria salvar ele. Porque o piloto não pulou, ficou dentro do helicóptero", completou. Leilane prestou depoimento à polícia e depois conversou com o G1 (veja vídeo acima).

O helicóptero saiu de Campinas, no interior do estado, onde Boechat participou nesta manhã de um evento, e seguia em direção à sede do Grupo Bandeirantes, no Morumbi, Zona Sul. A queda ocorreu na rodovia Anhanguera, junto ao Rodoanel: a aeronave bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via.

Leilaine contou que estava em uma moto, pilotada pelo marido, sentido Cajamar, no interior de São Paulo, e passava ao lado do caminhão atingido pelo helicóptero. Ela afirmou que quebrou o vidro do caminhão com um capacete e tirou o motorista do veículo.
Leiliane Silva ajudou a retirar o motorista de dentro do caminhão —
 Foto: Reprodução/Redes sociais

 
Vídeo mostra pessoas retirando motorista de caminhão que bateu em helióptero em SP
G1 SP
Vídeo mostra pessoas retirando motorista de caminhão que bateu em helióptero em SP


Veja imagens registradas após queda de helicóptero que matou jornalista Ricardo Boechat
G1 SP
Veja imagens registradas após queda de helicóptero que matou jornalista Ricardo Boechat

“Eu tô me sentindo impune [inútil]. Eu acho que poderia ter feito mais alguma coisa e não me deixaram. Eu devia ter corrido lá e puxado ele. Só que agora que eu estou aqui e que eu já sei que não tinha mais como tirar ele de lá porque explodiu novamente, eu vejo que eu podia ter morrido junto com ele. Mas a minha intenção ali na hora era tirar ele de lá. Eu tinha que ter tirado ele de lá. Tinha que ter puxado para o meio da pista. O outro moço já tinha morrido”, afirmou.

Ainda segundo Leilaine, ela quase foi atingida pela aeronave. "O helicóptero estava muito baixo, perto do viaduto. Se o helicóptero não tivesse caído em cima dele ele tinha sobrevivido. Não tinha o que fazer, mas ele estava vivo". Ela disse que teve que se afastar porque estava vazando combustível do caminhão e o helicóptero pegou fogo depois.
Mapa mostra local onde helicóptero caiu na Rodovia Anhanguera 
— Foto: Wagner Magalhães/G1

Acidente

Investigadores do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), da Aeronáutica, abriram investigação sobre a queda de helicóptero que matou o jornalista e o piloto do helicóptero, Ronaldo Quattrucci, nesta segunda.

Segundo o órgão, agentes do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa IV) vão coletar dados, como "fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos".

O objetivo da investigação do Cenipa é "prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram".

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave, um Bell Helicopter prefixo PT-HPG, estava em situação regular.

"De acordo com o Registro Aeronáutico Brasileiro (RAB), a aeronave estava com o Certificado de Aeronavegabilidade válido, bem como a Inspeção Anual de Manutenção, ou seja, em situação regular", diz nota da Anac.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.