RADIO WEB JUAZEIRO : Brasil: A prisão injusta do Lula; a grande mídia maldosa, o sistema institucional ofensivo e os homens maus!
quinta-feira, 11 de abril de 2019

Brasil: A prisão injusta do Lula; a grande mídia maldosa, o sistema institucional ofensivo e os homens maus!


A prisão do ex-presidente Luiz Inácio da Silva, polemiza o processo de discussão, aqui e no mundo: Com a reeleição da então presidenta Dilma Rousseff, em 2014, a consagração da quanta derrota seguida nas urnas, a direita rejuntou-se e optou pelo golpe para voltar ao poder, retomando o autoritarismo da elite econômica em sua face mais perversa.

Aplicaram a formatação técnica para aplicar um processo de impeachment, usando o STF – Superior Tribunal Federal, a Câmara Federal e o Senado da República - instituições de poder para ritmar o processo e com apoio espetaculoso da grande mídia, fazer a conformação da maioria da sociedade, que não tinha a menor ideia do que estaria por vir.

Portanto, quer queira, quer não, foi interrompido um processo de desenvolvimento econômico e inclusão social que, objetivamente, criou 20 milhões de empregos, tirou 32 milhões de pessoas da miséria, aumentou o PIB em cinco vezes e tirou o país do chamado “mapa da fome. Fez, ainda, a população conquistar, programas sociais que amenizou o déficit histórico com moradia, energia elétrica, água potável, acesso universitário e procedimentos de tratamento da saúde.
Foi falso dizer “que bastava tirar o PT do governo que os problemas do país acabariam”!... Simularam não saber que havia uma crise econômica mundial e que ela atingia em cheio o Brasil. Fizeram campanha de ódio contra o PT e o Lula, criaram a Lava Jato e com ela usaram criatura e setores da justiça, para também, influenciar no processo eleitoral de 2018, querendo ideologizar o resultado eleitoral, que com estratégia de produzir e espalhar notícias falsas (Fake News) acabou elegendo uma candidatura pela extrema direita, já que o nome do centro não decolou.

A articulação de direita conduziu Michel Temer/MDB à Presidência da República e ele propôs logo a “Reforma Trabalhista” que tira dinheiro do trabalhador para os empresários, prometendo gerar empregos e piorou e elegeu Jair Bolsonaro/PSL que quer reformar a Previdência Social prejudicando gravemente a classe trabalhadora, mostrando diversas ofensivas. A versão “neoliberal” do capitalismo retornou, aqui, na sua natureza mais conservadora – cruel, mesmo!... Porém, o povo em maioria, já observou o que aconteceu, parte do eleitorado da Eleição de 2018 demonstra arrependimento e declara ter sido engana!

Somos, desde longo período, vítimas de dois tipos de ensinamentos: endeusar um nome que esteja como candidato; dizer que todos são iguais e ninguém presta, diante de comprovação contraria ao ensinamento malicioso!... Assim formaram os humanos para, em maioria, lhes servir, social, eleitora, política e ideologicamente!

Depois de fazer uma devassa na casa e vida do Lula e seus familiares e nada encontraram que pudesse servir de prova para prendê-lo, conduziram coercitivamente de forma indevida, grampearam telefones dele, da Dilma e dos seus advogados ilegalmente, o condenaram e prenderam por um apartamento tríplex que nunca foi dono. Renomados juristas do Brasil e de outros países consideram absurda a condenação do Lula e apontaram a parcialidade de Sergio Moro, confirmada na prática, quando aceitou ser ministro da Justiça do presidente que ele ajudou a eleger. Lula liderava em todas as pesquis as de opinião pública a corrida eleitoral e até o Conselho de Direitos Humanos da ONU defendeu a sua candidatura.

Com um ano da última prisão do Lula, em 07de abril de 2019, tantos casos evidentes envolvendo líderes políticos de outros partidos, com provas, sem processá-los e punições diferentes, se pode dizer que tratam a justiça com ideologia, partidarismo e parcialidade, ferindo assim, a respeitabilidade que ela como poder institucional importantíssimo, precisa ter!... Ou seja, a forma como se tem tratado a Justiça, a Grande Mídia, o Congresso Nacional a Ciência Política, representa um amplo e agressivo xingamento, que a elegância hum ana não permite repetir!


Laurenço Aguiar 
Presidente do PT de Sento-Sé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.