RADIO WEB JUAZEIRO : SENTO-SÉ: UM SALTO PARA MÉDIA E GRANDE CIDADE!
quarta-feira, 8 de maio de 2019

SENTO-SÉ: UM SALTO PARA MÉDIA E GRANDE CIDADE!



Não resta dúvida. O minério de ferro que atrai R$ 11 Bilhões em investimentos para instalação de mineradora e respectiva linha férrea, vai dar ritmo acelerado e volumoso à economia municipal. Se por um lado isto provocará um crescimento socioeconômico fantástico, por outro lado pode-se também prever um certo agravamento de problemas antigos de Sento-Sé. Faltam-lhe moradias, redes de serviços e outros suportes requeridos por uma rápida e forte expansão urbana. E ainda existe o temor social de que a atividade mineradora acarrete futuras tragédias, a exemplo dos que vêm ocorrendo em cidades mineiras. 

Já se pode prever que, em termos de entrada, saída e movimento social, o projeto deverá trazer grandes modificações urbanísticas. Uma se concentrará no povoado "triplo" de Aldeia / Pascoal / Limoeiro e outro na sede do município, que tem relação mais ampla com o projeto. A verdade é que a enorme entrada e aplicação de recursos acaba por beneficiar cidades próximas, em especial, Juazeiro, polo de desenvolvimento regional.

O minério de ferro está ligado a tudo que tem aço, portanto a tudo que diz respeito ao desenvolvimento: Habitação; Transporte; Produção de alimentos Segurança pública; Saúde; Educação e outros segmentos. O princípio que mede a importância de um projeto como esse é a verificação do que falta. É a constatação do que ainda não existe no universo da infraestrutura. A busca por suprir o que falta, deve provocar uma demanda acelerada o que nunca foi fácil em nossa região, cujo histórico de colônia e colonizados, sempre nos tornou em presas fáceis, servos dessa antiga logica.

Como se sabe, em mina de lavra de ferro, petróleo, água, nióbio, brita, cobre, cromo, cimento, gesso/cal, pedras preciosas e outros cristais, existe um histórico de ocorrência de acidentes por ausência de maior investimento em segurança, priorizando o aumento do lucro, coisa da natureza do capital, também, na mineração. Porém não se pode deixar de reconhecer a importância dos minerais para a economia e a vida social. Maioria das cidades que receberam grandes investimentos minerários e migrações de profissionais de outras culturas, amargam problemas, que por maior que seja o desenvolvimento, não compensa para à sociedade. 

Todos os tipos de negócios e respectivos estabelecimentos comerciais: supermercado; mercearia, farmácias, confecção; eletrodoméstico; oficina; hotel; açougue; padaria; lanchonete; quitanda de verdura; peixaria; material de construção; papelaria; autopeça; barbearia; armarinho; transporte coletivo; posto de abastecimento; clínica médica; moto-táxi; etc. etc. etc., passarão por crescimento com muito maior procura, tendo de passar por reformas e ampliações do que existe e construções de novos portos, assim como, o crescimento financeiro e social dos seus proprietários serão de alguma forma impactados positivamente. Sabe-se que os donos do lucro da empresa, não vêm morar aqui. 

Em visita que fiz ao DNPM – Departamento Nacional de Pesquisa Mineral, recebi uma folha de papel listando 28 (vinte e oito) ocorrências minerais, ou seja uma das mais significativas "fontes de riquezas” que privilegiam o município com extraordinário potencial natural para o desenvolvimento!... O desafio é garantir sustentabilidade a todas as atividades produtivas no município, o que não é fácil diante de uma cultura nacional e local de pouca consciência social. 

A satisfação com à vistosa possibilidade de crescimento geral, não deve ser dissociada da preocupação com um desenvolvimento sem prejuízo social. A comunidade e o Poder Público devem buscar participação e acompanhamento da implantação do projeto. Devem ajudar as empresas a evitar prejuízo comunitário, garantindo com atenção à Responsabilidade Social, como condição justa para tratar a qualquer investimento empresarial, sério. 


Sento-Sé, 06 de maio de 2019. 
Laurenço Aguiar do Nascimento.

Um comentário:

Obrigado por seu comentário.