RADIO WEB JUAZEIRO : Ódio guardado por 53 anos acaba em morte
sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Ódio guardado por 53 anos acaba em morte

Idoso mata ex-colega de escola que fazia bullying com ele na adolescência

O agressor (destacada à direita) matou a tiros um antigo colega de escola (à esquerda) após almoço de confraternização (Foto: Reprodução)

Crime ocorreu durante encontro de ex-alunos, mais de 50 anos após os episódios de abuso

Cinquenta e três anos não fizeram o tailandês Thanapat Anakesri, 69, superar o bullying que sofria na escola. Movido pela força do ódio que o tempo não levou, o militar reformado da marinha matou, no último sábado (24), Suthat Kosayamat, 69, seu algoz dos tempos de colégio.

O local do crime o torna ainda mais simbólico: uma reunião de ex-alunos realizada em Ang Thong, na região central da Tailândia. E os agora idosos, que durante a adolescência acompanharam os abusos sofridos por Thanapat, foram testemunhas de sua vingança.

No início, a reunião parecia ser apenas mais um típico encontro de ex-alunos. Degustando um banquete de comida típica tailandesa e apreciando alguns vinhos, os idosos aproveitavam para conversar e relembrar as histórias de quando dividiam a classe.

Foi quando Thanapat resolveu tocar no assunto que há mais de 50 anos o atormentava. Ao expor o problema, ouviu Kosayamat, que trabalhava como alfaiate, dizer que não se lembrava de ter qualquer tipo de problema com alguém no colégio.

Revoltado com a fala do ex-colega, Anakesri levantou-se, sacou uma arma e exigiu um pedido de desculpas pelo bullying praticado quando ambos tinham 16 anos. Kosayamat negou-se a obedecer a ordem dada pelo ex-militar,

Foi aí que o jogo virou. A vítima virou algoz e o algoz virou vítima. Diante da recusa, Anakesri disparou contra seu antigo valentão e saiu correndo. O agora suspeito está sendo procurado pela polícia tailandesa.

Kosayamat chegou a ser levado a um hospital, mas morreu devido aos ferimentos causados pelo disparo. O organizador da reunião de ex-colegas de escola, Tuean Klakang, 69, contou que Anakesri havia reclamado no passado do bullying sofrido, mas também disse que aquilo não era um problema sério.

“Quando está bêbado, Anakesri costuma falar sobre como ficava bravo com o bullying que sofria de Kosayamat. Ele nunca se esqueceu disso”, afirmou Klakang à imprensa local.

Mesmo assim, foi um choque quando o crime ocorreu, já que nenhum ex-colega imaginava que Anakesri fosse capaz de matar alguém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE