RADIO WEB JUAZEIRO : Poder Político, Controle Institucional e Disfarce Econômico no Brasil!
terça-feira, 26 de novembro de 2019

Poder Político, Controle Institucional e Disfarce Econômico no Brasil!

Laurenço Aguiar


O Brasil vive um momento de possível interpretação conjuntural, visíveis sintomas sociais reveladores, casos de fortes suspeições de agravamento moral e com sérios prejuízos para à República Federativa brasileira.

Por mais que não se queira, é difícil tirar o caráter político do assassinato da Marielle Franco/PSL-RJ, com base no que noticia os diversos meios de comunicação e às Redes Sociais reproduzem. Ela era vereadora e ativista política social, cotada para ganhar a eleição carioca do Senado da República. Uma aparente influência política na investigação, vem apresentando dificuldades, entre elas, demora para a elucidação do caso que repercutiu em todo o País e Internacionalmente. A necessidade que o presidente da República e seus filhos sente de estar dando explicações em casos de delitos e tentando desfazer das próprias afirmações, causam insegurança e descrédito.

É forte a suspeição de manipulação de números para iludir a opinião pública e dá prestígio fantasioso ao Governo Federal: os números da inflação não coadunam com os aumentos do gás, da gasolina. da energia, etc.; nos dados da geração de emprego, nem sempre comparam com os períodos passados – sem deixar claro quantas vagas de trabalho ainda precisam ser cridas para pelo menos igualar com uma melhor fase da economia; quando falam os números da grana economizada com a “reforma da Previdência”, não diz de qual classe social tá retirando mais dinheiro, nem diz qual a mudança de circulação desse dinheiro, que a sociedade terá.

É desmoralizante os efeitos da “Operação Faroeste” da Polícia Federal que envolve o Tribunal de Justiça da Bahia, incluindo diversos nomes, entre eles os de Desembargadores/as, acusados/as de vender decisões da Justiça. Os casos noticiados de crimes cometidos por policiais e o aumento de crimes sociais cometidos após o estímulo de uso da arma-de-fogo e o incentivo aos preconceitos, mostra com o que o agente político diz e orienta, é pedagógico.

A emissão de Normas Federais para atacar as Organizações, os Movimentos populares e à População Tradicional de Índios, chega a parecer “coisa de louco”. Diante do exposto, ainda não se sabe aonde vamos chegar, porém, o prejuízo sócio cultural, com efeitos econômicos, só faz agravar, ainda mais, as condições de vida da maioria da sociedade!


Laurenço Aguiar – Cidadão, Agente Político e Social.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE