RADIO WEB JUAZEIRO : Dia dos Namorados na crise afeta frequência nos motéis

#2ECCFA - #87CEFA

 


sexta-feira, 12 de junho de 2020

Dia dos Namorados na crise afeta frequência nos motéis

Andrezza Moura

Humberto busca formas de atrair clientes neste Dia dos Namorados 
 Foto: Rafael Martins | Ag. A TARDE

Redutos de casais apaixonados, os motéis, um dos ambientes mais procurados no Dias dos Namorados, este ano, devem ficar praticamente vazios. Isso porque a pandemia do novo coronavírus, ao impor mudanças de hábitos, afastou uma boa parte dos amantes. Embora os motéis não estejam proibidos de funcionar, o setor já vem amargando prejuízos.

Para Humberto Prazeres Filho, sócio dos motéis Volúpia e Dubai, que funcionam em Salvador, não tem sido nada fácil manter os estabelecimentos de portas abertas, neste período. “Difícil! Em maio, a redução das vendas foi de 65% em relação a maio do ano passado. A queda nas vendas começou a ser observada desde meados de março, e vem se acentuando, desde então”, explicou o empresário.

Ainda de acordo com ele, os impactos foram tão significativos, que foi preciso reduzir o quadro funcional e fazer alguns ajustes para não ter que demitir mais pessoas. “Demitimos três funcionários, reduzimos a carga horária de um, e suspendemos o contrato de dois”, disse.

Acostumando a ver sempre os motéis cheios em noites especiais, muitas vezes até com filas de espera, o empresário precisou apelar para algumas estratégias na tentativa de atrair a clientela e, assim, sair da crise que se abateu sobre o setor.

“Estamos dando 50% de desconto em todas as refeições. Observamos que as pessoas têm tido dificuldade para fazer suas refeições diárias. Os restaurantes estão proibidos de servir seus pratos em seus próprios espaços, e os serviços de entrega estão sobrecarregados pelo grande e repentino aumento na demanda por essa modalidade de serviço. Além disso, muitas pessoas dispensaram as cozinheiras em suas casas. Assim, encontrar onde comer pode ser um desafio para qualquer um. Sensível a isso, o Motel Volúpia resolveu criar essa promoção”, contou ele

Humberto tem a esperança de que o Dia dos Namorados traga melhorias para a categoria e deixa um aviso para os casais. “Esperamos que essa data tão importante e tradicional para o setor ajude a trazer um pouco de alento a todos. Aproveitamos para lembrar aos namorados que os motéis são lugares seguros, onde não há aglomerações e o contato com os atendentes é mínimo”, completou o empresário, afirmando que os estabelecimentos têm seguido todas a normas de segurança no combate à covid-19.

Weber Leone, gerente Geral do Grupo Cerqueira - que inclui uma rede de hotéis e o Clímax Motel -, também vem sentido os resultados negativos na economia causados pela pandemia, mas diz que tem seguido táticas e se adequando às normas de segurança para manter os espaços funcionando ‘a todo vapor’.

“Infelizmente tivemos que reduzir o quadro, mas atendermos normalmente. Para manter o Clímax Motel em funcionamento, procuramos primeiro equipar nossos colaboradores com os equipamentos de EPIs (máscara, luvas, álcool em gel). Também nos preocupamos com os nossos clientes e todas as suítes são rigorosamente higienizadas. Não existe aglomeração em nossos motéis”, exemplificou o gerente.

Para o Dia dos Namorados, assim como Humberto Prazeres, Weber apostou nas promoções. “Dias dos Namorados daremos um brinde aos nossos clientes e o preço está convidativo, principalmente para quem comprar o voucher pelo nosso site. Essa é a grande novidade”, concluiu.

Até ontem, véspera do Dia dos Namorados, o diretor de TV Renato Dhias ainda não tinha decidido o que ia dar à namorada de presente. Mas tinha a certeza de que não a levaria ao motel. "No Dia dos Namorados, não gosto de ir em motel. Além de pegar fila, ainda pegamos a cama quente, literalmente. No dia, fazemos alguma coisa em casa e só comemoramos na rua depois. Agora, com essa pandemia, vamos ter que usar a criatividade", afirmou Dhias.

O casal Silvio Moura e Zuleide Tavares tinham planejado passar a noite do Dia dos Namorados em um motel, mas por conta da covid-19, tiveram que mudar de planos. "Queria ir para o motel com meu marido. De preferência, ficar lá sexta e sábado e só sair domingo de manhã. Vamos ficar em casa mesmo, fazer alguma coisa em casa. Não sei como está a higienização dos motéis, né?", avaliou a autônoma.

Para a auxilar administrativo Zenite Pinto, este ano, a noite do Dia dos Namorados será totalmente diferente de anos anteriores, quando costumava ir a restaurantes e depois ao motel com o namorado, o segurança Cláudio Sacramento. "Todos os anos saímos para jantar e depois vamos para o motel. Mas este ano, vamos passar no quarto dele, na casa da sogra. Farei uma surpresa para ele. Comprei uma cesta do amor com alguns presentes e vinho. Pelo menos, vamos ter um pouco de privacidade", disse Zenite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE