RADIO WEB JUAZEIRO : Cuidados na reabertura: Especialista alerta que bares são 'super propagadores de contágio'
sexta-feira, 10 de julho de 2020

Cuidados na reabertura: Especialista alerta que bares são 'super propagadores de contágio'

por Jade Coelho
Foto: Reprodução

Comer é uma necessidade básica do ser humano que muitas vezes está associada também ao prazer. Mas em tempos de pandemia, a depender de onde, como e com quem se faça isso, pode se tornar um problema. O alerta parte da infectologista Clarissa Cerqueira. Na semana em que a gestão municipal e o governo da Bahia anunciaram o protocolo de retomada das atividades na capital baiana, a especialista enumerou os riscos e cuidados que as pessoas devem ter em cada uma das três fases. 

A atenção maior deve estar nos locais "super propagadores de contágio". Nessa definição estão incluídos principalmente os bares e restaurantes, justamente por causa da comida. A infectologista explica que num momento como o atual, tudo que tem a ver com comida é perigoso, uma vez que para isso as pessoas precisam tirar as máscaras. Barreira física para o vírus, o EPI reduz consideravelmente a chance de contágio e o uso é, além de uma recomendação de profissionais de saúde, lei. 

"Os restaurantes e bares, ao contrário de supermercados e farmácias, são locais em que tem que comer, e para comer as pessoas precisam tirar a máscara. Em geral as pessoas não vão sozinhas, vão normalmente para ter contato com outras, o que torna os bares e restaurantes ambientes propícios para transmissão de vírus que é transmitido por contato e gotículas", explicou a infectologista.

No protocolo apresentado pelo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), na última terça-feira (7), a flexibilização de abertura dos bares e restaurantes foi condicionada à taxa de ocupação dos leitos de UTI. Os estabelecimentos, fechados desde março, poderão funcionar desde que essa taxa permaneça por pelos menos cinco dias nos 70%.

Quando isso ocorrer, os estabelecimentos terão que mudar o modus operandi e se adequar à nova realidade imposta pela pandemia. Isso inclui, de acordo com a médica, orientações como quantidade de pessoas nos locais, espaçamento entre mesas e entre os clientes, e até os locais em que eles devem colocar as máscaras quando forem comer. "Não dá para colocar em cima da mesa", frisou a infectologista.

A especialista considera a contrapartida estabelecida pela gestão de Salvador, que condiciona a reabertura à taxa de ocupação nas UTIs, um "parâmetro interessante". Mas aponta a dificuldade que será enfrentada para chegar à tão desejada fase três, que é a última. "Sempre quando abrir muito, vai faltar leito de UTI", previu a médica. 

A infectologista reconhece a importância da reabertura das atividades, mas alerta que, mesmo com a flexibilização, as pessoas que saírem de casa têm que ter em mente que estão indo a um ambiente comunitário. "Tem que ter consciência de que uma vez que sai de casa, está se expondo. Por maior cuidado que tome, está exposto", ressaltou Clarissa. 

A fase um da reabertura será implementada quando a taxa de ocupação de leitos permanecer menor que 75% por pelo menos cinco dias. Ela se refere a shoppings, centros comerciais e igrejas. Uma vez que não há como garantir que não haverá contágio nesses locais, a infectologista fala de medidas para "minimizar" essa contaminação. São elas o distanciamento das pessoas, nos bancos dos templos por exemplo, e mesmo ao caminhar; o uso de máscaras; e higienizar as mãos sempre que tocar em maçanetas, corrimãos e catracas.

Na fase dois, o alerta da infectologista vai, além dos bares e restaurantes, também para os salões de beleza. Ela chama atenção para os serviços em que as pessoas tenham que ficar próximas dos clientes, a exemplo das manicures ou das desingners de sobrancelhas. Nesse tipo de estabelecimento Clarissa recomenda que deve haver restrição de pessoas e uso de máscaras. 

A reabertura de parques, teatros, cinemas e casas de espetáculos está prevista na fase três, após a capital atingir taxa de ocupação menor que 60%. A médica vê muita dificuldade em atingir esse patamar, mas ainda assim recomenda atenção e muito cuidado com o espaçamento entre as cadeiras, além do uso máscara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE