RADIO WEB JUAZEIRO : Médica diz que não pulou de prédio e cita ameaça de ex-companheiro
sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Médica diz que não pulou de prédio e cita ameaça de ex-companheiro

Informação é do segundo depoimento de Sáttia 
 Foto: Reprodução Redes Sociais

A médica Sáttia Lorena Patrocínio Aleixo, disse à polícia, que no dia em que caiu do 5º andar do prédio Serra do Mar, em Salvador, o seu companheiro, Rodolfo Cordeiro Lucas havia dito que iria acabar com a vida dela. Na ocasião, o também médico teria ainda, segurado o pescoço dela e ameaçado cortar seu rosto.

A informação é do segundo depoimento de Sáttia, que foi divulgado em partes pela TV Bahia. Conforme a reportagem, a médica contou que antes da queda, ocorrida no dia 20 de julho no bairro de Jardim Armação, Rodolfo afirmou que se ela terminasse o relacionamento, ele acabaria com a vida dela.

Ela relatou que achou ter sido "brincadeira" e, que, no dia da queda, ele repetia: "Eu avisei". Sáttia, que até então, não se recordava do que tinha acontecido, afirmou ter se lembrado, que, enquanto estava na janela, chegou a gritar por socorro e que Rodolfo soltou sua mão. A médica negou que tenha tentado suicídio, versão sustentada pelo seu ex-companheiro.

Ainda no depoimento, Sáttia falou que vivia um relacionamento abusivo e já foi agredida com puxões de cabelo e socos. Durante uma outra briga, ela teria sofrido um corte ao ser empurrada.

Conforme Sáttia, Rodolfo utilizava medicamentos psicoestimulantes e antidepressivos e insistia para que ela também tomasse. No fim do depoimento, a médica contou que Rodolfo disse, uma vez antes da queda, que quem tem dinheiro no Brasil sai impune e não sofre as consequências dos seus atos.

Na quarta-feira, 28, equipes da Polícia Civil e do Departamento de Polícia Técnica (DPT) realizaram, a reconstituição da queda. Concluído no dia 3 de setembro, o inquérito que indiciou Rodolfo por tentativa de feminicídio, acabou sendo devolvido à Polícia Civil pelo Ministério Público da Bahia (MPBA). A Justiça baiana solicitou a reconstituição do caso, além de novas diligências e testemunhas. Nem Sáttia e nem Rodolfo participaram da simulação.

O caso

Sáttia Lorena caiu da janela do apartamento onde morava na madrugada do dia 20 de julho, em Jardim Armação, Salvador, durante uma discussão com seu então companheiro, Rodolfo Cordeiro, e ficou em coma induzido. Um mês depois, ela foi ouvida pela polícia, que afirmou que a queda acabou comprometendo a memória recente da médica.

Rodolfo chegou a ser preso em flagrante pelo crime, mas foi solto por decisão judicial. A polícia suspeita que Sáttia tenha sido empurrada do apartamento por ele. Ele negou a agressão, disse que a própria médica se jogou da janela por estar passando por um quadro depressivo e que, na verdade, tentou evitar a queda.

Familiares de Sáttia, por sua vez, negaram que ela estivesse depressiva e relataram que a médica vivia em um relacionamento abusivo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE