RADIO WEB JUAZEIRO : Plantio para tratar Parkinson é proibido
quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Plantio para tratar Parkinson é proibido

Miriam Hermes e Redação 

Folhas da planta cannabis sativa, conhecida como maconha, que dá origem ao canabidiol | Foto: Maj. Will Cox | Released

Já chega a 31 o número de países com legislação flexibilizada para uso médico ou recreativo da planta cientificamente chamada cannabis sativa, mas os brasileiros ainda terão de aguardar na fila com paciência uma decisão favorável das autoridades.

O mais recente desapontamento dos coletivos que lutam pela legalização veio do Tocantins, onde um morador acionou o Judiciário para obter autorização de cultivo da planta em casa, mas a Advocacia Geral da União (AGU) confirmou o veto.

O médico prescreveu o uso do tetrahidrocanabinol, extraído da planta, para tratamento do Mal de Parkinson, acrescentando a dificuldade de aquisição, devido ao alto custo de remédios já produzidos no exterior, com a mesma finalidade.

Mas a argumentação não convenceu a AGU, ao sustentar que a reivindicação do doente vai contra a legislação e as resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

– A autorização poderia gerar grave precedente, que tornaria incontrolável o rastreio, de onde estaria vindo essa substância. Sairia totalmente do controle! - assustou-se a procuradora federal que atuou no caso, Inês Cristina Marra Machado.

Anvisa – Os céticos em relação ao uso da planta admitem ser legal a importação de sementes e o plantio, mas o obstáculo maior é o dever da Anvisa em regulamentar, controlar e fiscalizar o uso do medicamento.

Ao contrário do arrazoado do médico e de seu cliente tocantinense, a AGU defendeu que há remédios disponíveis em farmácias e drogarias do Brasil para o tratamento da doença do autor da questão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE