RADIO WEB JUAZEIRO : Organizador de orgias em Bruxelas diz que políticos de nove países frequentam eventos
sexta-feira, 4 de dezembro de 2020

Organizador de orgias em Bruxelas diz que políticos de nove países frequentam eventos

Por: Fernando Moreira 

Dawid Manzheley organiza orgias gays em Bruxelas Foto: Reprodução

O organizador polonês de festas sexuais durante o "lockdown" em Bruxelas (Bélgica), a capital da União Europeia, afirmou que políticos de nove países são frequentadores assíduos das orgias que ele promove no seu apartamento.

Nesta semana, o político húngaro József Szájer, que foi a voz mais forte do primeiro-ministro ultranacionalista Viktor Orbán no Parlamento Europeu, deixou o partido governista Fidesz, dias depois de vir à tona que ele fugira por uma calha de uma orgia gay em Bruxelas, onde a polícia fez uma batida por infração das medidas que limitam as reuniões por causa da pandemia da Covid-19.

Em entrevista ao jornal polonês "Onet", Dawid Manzheley, de 36 anos, disse:

"Muitas figuras públicas de vários países aparecem nos meus eventos, incluindo políticos poloneses. Eles têm famílias e pediram desde o início que mantivessem em segredo a sua participação nas orgias gays."

Manzheley, que é acusado de fraude na Polônia, o que ele nega, descreveu-se como um "amador que organiza orgias gays com até 100 pessoas". Ele reduziu o número devido às estritas medidas contra a Covid-19 adotadas pela Bélgica, que é um dos principais focos da doença na Europa.

Jozsef Szajer negou que as pílulas de ecstasy encontradas em sua bolsa pela polícia fossem dele Foto: PETER KOHALMI / AFP

O organizador também afirmou que recebeu nove políticos do partido Fidesz, que luta contra os direitos LGBTQ. O partido não se manifestou.

"Temos também políticos de Ucrânia, França, Alemanha, Holanda, Luxemburgo, Suíça e Espanha", disse Manzheley. "No entanto, os hóspedes mais frequentes são poloneses e húngaros", acrescentou.

Manzheley descreveu os seus eventos como do tipo "sem camisinha", mas ele afirma que todos os participantes são testados para o coronavírus. O organizador acrescentou que os convidados devem participar do que ele chamou de "orgia do papai", o que significa que ninguém pode ser um espectador. Não são permitidos celulares ou fotos.

Segundo Manzheley, Szájer, com quem se encontrara pela última vez na sxexta-feira (27/11), havia o convidado para participar de uma orgia que ele próprio promoveria em 12 de dezembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE