RADIO WEB JUAZEIRO : Manoel Serapião revela projeto de profissionalização da arbitragem brasileira
quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Manoel Serapião revela projeto de profissionalização da arbitragem brasileira

por Leandro Aragão
Foto: Reprodução / CBF TV

Integrante da comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Manoel Serapião revelou que um projeto de profissionalização dos árbitros brasileiro vem sendo debatido. O ex-árbitro foi o entrevistado do programa BN na Bola, da Rádio Salvador FM 92,3, com os jornalistas Emídio Pinto, Glauber Guerra e Ulisses Gama, na noite desta terça-feira (5). A profissionalização da arbitragem é um pedido recorrente no meio do futebol afim de diminuir os erros de aplicação das regras durante os jogos.

"Queremos profissionalizar. Hoje mesmo tivemos uma reunião da estrutura de arbitragem da CBF. Estamos encaminhando um projeto de profissionalização de alguns árbitros, porque não é possível profissionalizar todos. Aí surge uma questão de ordem jurídica, uns podem ganhar remuneração fixa, outros não, e isso cria um problema sociail e sindicalismo, de direito trabalhista. Tem implicações muito grandes, mas o fato é que tem que ter treinamento, tem que ter acompanhamento, tem que ter um compromisso muito grande, que já há, mas que precisamos evoluir nesse particular, anunciou. "Não sei se profissionalizando seria a solução por completo, mas com certeza beneficia e traz resultados positivos. Não a panaceia, a solução para todos os males, isso não, porque temos homens e o homem falha", ponderou.

Além da profissionalização, Serapião defendeu uma maior especialização e preparação dos árbitros para diminuir os erros em campo. No entanto, ele voltou a enfatizar que o erro faz parte da natureza humana.

"A profissionalização é sempre bem-vinda. Quanto mais você treina, quanto mais você é especializado, melhor é o fruto do seu trabalho. Mas se você vai ter seres humanos analisando, a inexistência de erro não vai depender da profissionalização. É lógico que se você é um árbitro bem treinado, um radialista bem treinado, um jornalista bem treinado, se informa para fazer bem a pergunta, vai fazer perguntas mais pertinentes, mais profundas, com mais acertos. Mas vai estar em campo um ser humano. Não tem jeito. Eu fui magistrado, proferi decisões não corretas, o Tribunal modificava, mantinha. Você está transmitindo um jogo e diz que foi o jogador número 6 que fez o gol quando foi o 9, isso faz parte do humano. Nós não temos como eliminar qualquer erro por conta da profissionalização", explicou.

Os árbitros em campo também contam com o auxílio da tecnologia do Árbitro de Vídeo (VAR). Porém, o equipamento não é disponibilizado em todos os jogos de todas as competições no Brasil. Somente a Série A do Brasileirão utiliza o recurso em todas as suas partidas das 38 rodadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE