RADIO WEB JUAZEIRO : O mistério das pedras vivas da Romênia: elas crescem, se reproduzem e respiram
quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

O mistério das pedras vivas da Romênia: elas crescem, se reproduzem e respiram

Parecem mágicas, mas existem na Romênia e em outros lugares ao redor do globo. Estamos falando dos Trovantes, as únicas pedras vivas que crescem, se reproduzem e respiram.


A natureza nos concede presentes estranhos e surpreendentes que nos convidam a questionar: de florestas tortuosas a lagos que mudam de cor, chuvas incomuns de peixes ou crateras inexplicáveis. Na Romênia você pode ver os Trovantes – literalmente, “pedras que crescem” -, formações rochosas vivas e únicas graças à sua capacidade de multiplicação e outros detalhes curiosos. Embora à primeira vista possam parecer pedras normais, os minerologistas descobriram os segredos que as tornam um tesouro como nenhum outro.


As pedras são compostas principalmente de um núcleo de pedra dura, e o resto é feito de areia, disposta em torno de seu coração como uma concha. Segundo especialistas, eles teriam 6 milhões de anos e teriam começado como seixos pequenos até atingirem os 10 metros. Não pense que eles crescem rápido: podem levar cerca de mil anos para crescer entre 4 e 5 centímetros.

O aumento da massa das pedras passou pelo microscópio dos cientistas, que optaram por dissecar várias amostras para tentar desvendar as chaves desse enigma. Ao abri-los, encontraram uma estrutura semelhante à dos anéis circulares que formam um tronco de árvore.

Após diversas análises, as rochas – que foram declaradas monumento da humanidade pela Unesco – desenvolveram diferentes teorias sobre sua capacidade de crescimento. As pedras foram formadas por acúmulos de depósitos de areia e arenito altamente porosos cimentados por águas ricas em carbonato de cálcio. O termo Trovant (trovanti) foi criado e introduzido pelo naturalista Gh. M. Murgoci, em sua obra “O terciário em Oltenia”.

O segredo para o crescimento dessas pedras está escondido na água, especificamente naquela que é rica em carbonato de cálcio, essencial para fazer a rocha crescer na presença de água da chuva.

Após cada chuva forte, o Trovant absorve os minerais da chuva, que por sua vez se recombinam com os produtos químicos já presentes na pedra. À medida que uma reação espontânea e pressão se forma no interior, a rocha cresce do centro para as margens e se multiplica, com uma taxa de deposição de aproximadamente 4-5 cm em 1000 anos.

Essas rochas romenas geralmente aparecem com formas lisas e sem bordas: são cilíndricas, nodulares e esféricas, formas inconsistentes desenvolvidas à medida que crescem e se multiplicam devido à secreção irregular de cimento. As formações são variadas, crescendo de alguns milímetros a 10 metros.


Os Trovant não são estranhos apenas por causa de sua estrutura e capacidade de crescer e se multiplicar. Eles também podem se mover de um lugar para outro. Em torno de suas extensões semelhantes a raízes e anéis de envelhecimento visíveis quando você corta a pedra, os cientistas ainda não encontraram uma explicação para essas características únicas.

Se voltarmos às origens de sua existência, devemos agradecer a presença de terremotos há seis milhões de anos. O depósito de areia foi criado após a sucessiva sedimentação de entulhos transportados pelos rios.

Fonte: ticbeat

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE