RADIO WEB JUAZEIRO : Dirigente do Sport acusa diretoria da Juazeirense por polêmicas no Adauto Moraes
quinta-feira, 11 de março de 2021

Dirigente do Sport acusa diretoria da Juazeirense por polêmicas no Adauto Moraes

por Leandro Aragão
Foto: Reprodução / SporTV

Juazeirense e Sport fizeram um jogo no Estádio Adauto Moraes recheado de polêmicas como sumiço de gandulas, sistema de irrigação do gramado ligado durante o segundo tempo, além do apagão dos refletores que causaram o encerramento antes do apito final. Na noite desta quarta-feira (10), o Cancão de Fogo bateu o Leão do Recife por 3 a 2, pela primeira fase da Copa do Brasil. O diretor do clube pernambucano, Augusto Caldas, acusou a diretoria baiana por causar os incidentes propositadamente.

"Nós estamos incrédulos com tudo que está acontecendo aqui hoje. A partir do momento que a Juazeirense virou o jogo começou a água para dentro do campo pela parte de drenagem e irrigação. Depois um jogador teve um choque pelo alto e chama a ambulância, que entrou de uma forma louca e para o jogo novamente. E depois começou o apaga apaga de luz. Uma coisa absurda que a gente não via há mais de 30, 40 anos. Isso não é futebol, isso é uma apelação. Como é que a Juazeirense usa esse tipo de expediente para ganhar o jogo? Isso é vergonhoso. Ele já é reincidente, fez isso com o Vasco. Isso é um absurdo", disparou em entrevista ao canal SporTV. "O goleiro deles, Rodrigo (Calaça), me pegou ali quando eu saí para conversar com meu treinador e me disse: "Me desculpe. A gente não compartilha com esse tipo de comportamento, isso é coisa do diretor e do presidente". Isso é uma coisa acintosa, vergonhosa. O futebol brasileiro não precisa disso. A gente fica estarrecido como isso acontece no futebol brasileiro. Vergonha é a palavra", completou.

Após abrir o placar e depois sofrer a virada, o Cancão de Fogo conseguiu revirar o marcador aos 21 do segundo tempo com o zagueiro Dedé. Três minutos depois, o sistema de irrigação do gramado foi acionado. Aos 31, os gandulas sumiram e o lateral Patric precisou pular a placa de publicidade para buscar uma bola e no minuto seguinte, a irrigação foi novamente ligada. Aos 40, o autor do terceiro gol baiano acabou desmaiando após um choque numa disputa de bola aérea com o atacante Mikael, do Sport. A ambulância entrou em campo, mas terminou não sendo necessária, já que o médico do Cancão de Fogo conseguiu recuperar o atleta. Aos 46, o árbitro Ramon Abatti Abel deu 11 de acréscimo. Mas a energia do estádio caiu causando o primeiro apagão aos 50. Logo após o reinício do jogo, os refletores desligaram novamente e depois de muita espera e discussões, o juiz optou por encerrar a partida, já que o time pernambucano se recusou a entrar em campo novamente (leia aqui).

Nesta quinta (11), o Sport divulgou nota oficial, assinada pelo vice-presidente jurídico Manoel Veloso, definindo como impressionantes e injustificáveis os acontecimentos no Adauto Moraes. Além disso, o clube cobrou ao delegado do jogo e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a realização de uma perícia detalhada no local, "especificamente no sistema de irrigação do campo, refletores e suas conexões elétricas, geradores de energia, parte elétrica do estádio, parte elétrica no entorno do estádio (para atestar se houve queda de energia por culpa da companhia elétrica), assim como demais instalações físicas do estádio".

Com a derrota, o Sport amarga sua terceira eliminação consecutiva na primeira fase da Copa do Brasil. Já a Juazeirense aguarda a definição do confronto entre Castanhal-PA e Volta Redonda, que será no dia 17 de março, para conhecer seu próximo adversário no torneio nacional.

Leia, na íntegra, a nota divulgada pelo Sport:

"Devido aos impressionantes e injustificáveis eventos ocorridos na noite desta quarta-feira (10) no jogo Juazeirense x Sport, pedimos que o Delegado do Jogo e/ou a CBF determine a realização de uma perícia detalhada no local, devendo passar pelo estádio e o campo de jogo.

Perícia esta que deve se dar especificamente no sistema de irrigação do campo, refletores e suas conexões elétricas, geradores de energia, parte elétrica do estádio, parte elétrica no entorno do estádio (para atestar se houve queda de energia por culpa da companhia elétrica), assim como demais instalações físicas do estádio.

A perícia precisa ser realizada por engenheiros elétrico e civil e, desde já, declaramos que o Sport que arcará com tais despesas.

Assim também pedimos que a CBF oficie a companhia de energia elétrica da cidade de Juazeiro para informar se no dia 10/03/2021 após as 19h houve alguma queda de energia no local.

Sem mais, desde já agradeço a atenção dispensada, e peço que nossos justos pedidos sejam atendidos.


Atenciosamente,
Manoel Veloso
Vice-Presidente Jurídico do Sport Club do Recife."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE