RADIO WEB JUAZEIRO : Mulher pede pizza no 190 e policial percebe que se tratava de violência doméstica
sexta-feira, 28 de maio de 2021

Mulher pede pizza no 190 e policial percebe que se tratava de violência doméstica

Ao chegar ao local, a polícia confirmou as suspeitas

Por Julinho Bittencourt

Uma mulher de 54 anos, moradora de Andradina (SP), entrou em contato com a Polícia Militar pelo 190 na noite desta quarta-feira (26) e fez um pediu uma pizza. O cabo que atendia aos chamados no Copom (Comando de Policiamento do Interior) percebeu que se tratava de um pedido de socorro. Ele solicitou que uma viatura se deslocasse até o local e confirmou as suspeitas. Era um caso de violência doméstica.

O suspeito, um homem de 57 anos, fugiu assim que viu a viatura se aproximar, de acordo com o Boletim de Ocorrência. A vítima contou que sofria agressões físicas e psicológicas do marido. Ela disse ainda que ele passou mais de 20 anos preso e desde que voltou para casa a agredia com xingamentos e ofensas. Mais cedo, ainda de acordo com relatos da vítima, ela e os filhos receberam ameaças de morte.

Moto roubada

A vítima contou ainda que a confusão toda começou naquele dia porque ele, que está desempregado, chegou em casa com uma motocicleta. Ela fez perguntas e ele passou a ameaçá-la.

A PM confirmou que o veículo, que ainda estava nos fundos da casa, tinha registro de furto e, por isso, foi recolhido para perícia e depois ser devolvido ao proprietário.

O suspeito segue desaparecido e foi declarado como foragido, já que a Polícia Civil decretou o flagrante após confirmar as agressões contra a esposa e o furto.

A vítima entrou com pedido de medida protetiva para impedir que o marido volte à residência ou se aproxime dela e dos filhos.
Treinamento

Já com relação ao chamado, a mulher informou que, como não poderia telefonar pedindo socorro, já que o marido poderia ouvir, teve a ideia de sugerir que os dois pedissem uma pizza no telefone de urgência, na esperança de ser compreendida.

O Copom explicou ao UOL que o caso foi recebido pelo Soldado PM Cássio Júnior dos Santos e que, somente foi possível entender o pedido de socorro da mulher porque ele estava treinado para casos semelhantes.

“O Copom faz treinamentos periódicos, no mínimo semestrais, e utiliza exemplos do que ocorre em outros locais para orientação do efetivo. Houve uma ocorrência em 2019 que aconteceu idêntico nos EUA e serviu de base para o treinamento”, diz o comunicado.

Com informações do UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE