RADIO WEB JUAZEIRO : China mantém ‘sol artificial’ em 120 milhões de graus e bate recorde mundial
terça-feira, 1 de junho de 2021

China mantém ‘sol artificial’ em 120 milhões de graus e bate recorde mundial

China liga seu 'sol artificial' em busca de energia de fusão nuclear

Sol artificial "supera" original com temperatura de 100 mi de graus Celsius.

A China quebrou o recorde mundial ao manter o Tokamak Supercondutor Experimental Avançado (EAST) em 120 milhões de graus celsius por 101 segundos e 160 milhões de graus por 20 segundos, um passo importante em direção ao teste do reator de fusão.

O dispositivo Tokamak foi projetado para replicar o processo de fusão nuclear que ocorre naturalmente no sol e nas estrelas para fornecer energia limpa quase infinita por meio da fusão nuclear controlada, que muitas vezes é apelidada de “sol artificial” e está localizado nos Institutos Hefei de Ciências Físicas da Academia Chinesa de Ciências.

A conquista quebrou um recorde anterior de manutenção da temperatura do plasma em 100 milhões de graus por 100 segundos. De acordo com Li Miao, diretor do departamento de física da Southern University of Science and Technology em Shenzhen, é um marco no alcance da meta de manter a temperatura em um nível estável por muito tempo.

Alcançar uma temperatura de plasma acima de 100 milhões de graus é um dos principais desafios para controlar a fusão nuclear. No final de 2020, a Coreia do Sul atingiu 100 milhões de graus por 20 segundos. Acredita-se que a temperatura no centro do sol seja de 15 milhões de graus celsius, o que significa que o plasma no centro do dispositivo será sete vezes mais quente que o do sol.

A energia gerada a partir da fusão nuclear é a mais confiável e limpa, disse Lin Boqiang, diretor do Centro Chinês para Pesquisa em Economia de Energia da Universidade de Xiamen, ao Global Times na sexta-feira, acrescentando que se a tecnologia puder ser aplicada comercialmente, terá enormes benefícios econômicos.

No entanto, Lin alertou que como a tecnologia ainda está em fase experimental, ainda são necessários pelo menos 30 anos para que a tecnologia saia do laboratório. “É mais como uma tecnologia do futuro que é crítica para o impulso de desenvolvimento verde da China.”

MSN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE