RADIO WEB JUAZEIRO : Sento-Sé: Riquezas Naturais, não deve ser problema?!
segunda-feira, 21 de junho de 2021

Sento-Sé: Riquezas Naturais, não deve ser problema?!



A legitima preocupação pela instalação do Projeto de Lavra Mineral de Ferro no Município de Sento-Sé do saudoso Revolucionário Comunista Mário Alves – muito conhecido nacionalmente, até por uma parcela dos intelectuais de esquerda do Mundo, mas, muito desconhecido por aqui (é só ver no Google), não está fora da lógica social. Porém não se deve perder de vista a postura institucional, pessoal, social diante da suposta, ou real ameaça comunitária – Pois, se retirar e levar um dos tipos de bem natural em uma localidade dotada geologicamente era uma possibilidade, agora virou recente realidade.

Diante da ocorrência, a Empresa, o Poder Público, as Comunidades não devem se verem, sem a visão político, ideológico, social, que lhe é peculiar, onde todos perdem, principalmente, às Comunidades. À polêmica tem evoluído, que, ontem à tarde início da noite, sábado 18 de junho, entre houve uma Reunião Online, de elevadíssimo nível de valor social, intelectual, cultural, debateram o assunto: A Frente Parlamentar Ambiental da Assembleia Legislativa do Estado, sobre o comando do deputado Marcelino Galo do PT, depois da competente articulação da senhora Mariluze Amaral da Secretaria de Meio Ambiente e Turismo do Município local : O Celito Castering; senhor Welton Luiz Costa Rocha – chefe de Gabinete do INEMA/BA; a senhora Tereza Rodrigues Secretária do Meio Ambiente; a Roberta Arruda - Engenheira Ambiental da Prefeitura Municipal; o Padre Claudimiro - da Paróquia local; o Jackson Coelho de Souza – Chefe de Gabinete da Prefeita; O Erick Almeida - biólogo da UNIVASF; Margarida Ladislau – da CPT; Maria Francisca – de Aldeia e algumas outras personalidades de relevância social.

O evento chamado de “Live”: “Audiência Pública da Frente Parlamentar Ambientalista da Bahia” (“Sento-Sé – A Exclusão do Povo e do Meio Ambiente, Eólicas a Mineradoras”) Pude ver e sentir que é preciso politizar e ideologizar, ainda mais, a importante discussão, e agilizar o processo para melhorar a Atenção Social custeada pela Empresa, devendo ter à parceria da Prefeitura Municipal. Há quem diga que são 11 (onze) comunidades envolvidas – sendo três delas juntas entre si e pertinho da famosa Serra da Bicuda, Aldeia/Pascoal/Limoeiro.

O Mundo Capitalista, quando moldou a criação do Estado, cuidou também de se “auto proteger, beneficiar” – os “Homens” que programaram as Instituições e as Leis, foram formatados pelo referido Sistema, para servi-los. Ele, o Sistema, tem como “LUZ” maior do seu caminha. “O LUCRO”, que nada mais e nada menos do que gastar pouco e concentrar o máximo possível, foi ensinado também, a ver a ética, a saúde, a vida humana e do bioma, em cuidado necessário.

Sem querer encompridar a conversa: O Capitalista Minerador no Brasil vai ao DNPM (...) “buscar” o documento que lhe dá o “Direito de Lavra”; Ao Inema/BA “pegar” a “Licença de Lavra Mineral”; À Prefeitura “adquirir” a “Licença de Uso do Solo”, por saber detalhes, que são esses órgão habilitados pelas leis criadas, lá atrás. Ora, a Mineração é do interesse do Mundo, do País, do Estado e do Município – Se perguntar todas as pessoas que estão pertinho do “perigo mineral”, se quer que a empresa pare saia, maioria esmagadora delas ira dizer que fique e continue.

Mas, as vozes de protesto contra a Mineração, ou a Mineradora, têm valor político social imenso – Muitas delas sempre teve visão de Desenvolvimento com Sustentabilidade, defendeu a priorização do social, da coletividade. Como dirigente partidário, Homem de Esquerda, analista natural do meio social, tenho certeza que isso não pode ser chamado de “Nó sem ponta”, pois, com o aprofundamento da discussão, o Poder Público, a Empresa e as Comunidades se entenderão e trilharão o caminho, pelo menos, razoável, da relação comunitária e institucional no padrão de civilização que o tempo e a realidade, sugere.


Laurenço Aguiar do Nascimento.
Presidente do PT Local.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE