RADIO WEB JUAZEIRO : Defesa oportuna do São Francisco

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Defesa oportuna do São Francisco

Postado por Magno Martins 


No Frente a Frente itinerante de ontem, direto dos estúdios da rádio Tropical FM, em Juazeiro (BA), o ex-deputado estadual baiano Pedro Alcântara, hoje respeitado médico na chefia da Saúde no polo da região Norte da Bahia, fez um alerta importante sobre o estado de abandono do Rio São Francisco. Segundo ele, o consumo exagerado e contínuo das suas águas para irrigação, associado à falta de um projeto de revitalização dos seus afluentes, podem levar o Velho Chico à morte.

"Sem o rio, essa região, que virou o maior centro de produção e exportação de frutas do País, graças justamente aos projetos de irrigação, pode entrar numa decadência irreversível", disse Alcântara. Preparado, estudioso, competente e profundo conhecedor da realidade econômica e social da região, Alcântara disse que o rio está num preocupante e acelerado processo de degradação das suas matas ciliares.

As matas ciliares são encontradas nas margens dos rios e mananciais, sendo responsáveis por proteger os cursos d’água do assoreamento, da obstrução de alguns trechos do rio pelo aumento no volume de terra e outros sedimentos carregados pela correnteza. Elas são conhecidas como vegetação ribeirinha, vegetação ripária ou vegetação rícola. O termo mata ciliar faz referência a cílio por proteger e filtrar o rio.

No caso do São Francisco, segundo Pedro Alcântara, o desmatamento e as queimadas têm reduzido as matas ciliares e feito com que alguns de seus trechos se tornem não navegáveis. "Por isso, a conservação dessas matas é de extrema importância para equilíbrio do meio ambiente e, consequentemente, a salvação do Velho Chico", destacou.

Ainda em sua fala, o médico fez um panorama da pandemia do coronavírus na região de Juazeiro e no seu entorno de 48 municípios, área que coordena. Segundo ele, a média de ocupação de leitos de UTIs na região que coordena caiu para 30%. "Isso, podemos dizer, em razão do avanço da vacinação, do uso de máscaras e dos protocolos de preservação da vida", afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE