RADIO WEB JUAZEIRO : Deputado de Suzana Ramos, Adolfo Viana vota contra professores e é derrotado

quinta-feira, 19 de agosto de 2021

Deputado de Suzana Ramos, Adolfo Viana vota contra professores e é derrotado

Por: Manoel Leão

O Deputado Federal Adolfo Viana (PSDB) votou contra os professores na noite desta terça-feira (17/08) na Câmara dos Deputados. O projeto, determinava o fim do piso salarial dos professores e reajuste pelo INPC acumulado, o que ocasionaria perda real de ganho a cada ano e a Câmara dos Deputados aprovou o recurso contra a apreciação conclusiva do Projeto de Lei 3.776/2008, do Poder Executivo, tratando do reajuste do piso salarial nacional dos professores pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado nos 12 meses anteriores, determinando o fim do piso salarial.


Quem comenta o voto do Deputado Adolfo Viana é uma gestora, que apesar de indicada pela Prefeita Suzana Ramos diz que não entende “essa raiva da prefeita contra os professores de Juazeiro e essa aliança com um deputado conhecido por sabotar e votar contra os professores”: “Essa importante vitória dos professores, foi o prenúncio da derrota nas urnas que se aproxima para o Deputado de Suzana Ramos ou ela está esperando que a gente vote em quem vota contra a gente? ” – Pergunta indignada a gestora.

Entenda

A revisão anual do piso dos professores ocorre no mesmo percentual de crescimento do valor anual mínimo por aluno referente aos anos iniciais do ensino fundamental urbano. Esse valor é definido nacionalmente de acordo com o número de matrículas.

Devido à reformulação do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), tratada na Emenda Constitucional 108, de 2020, deverá haver um aumento maior do que o INPC para o valor mínimo por aluno, refletindo no piso dos professores. Se adotada a proposta defendida por Adolfo Viana e a prefeita Suzana Ramos, os professores teriam, na prática, congelado seu piso salarial, independente do crescimento do número de alunos e ou da inflação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE