RADIO WEB JUAZEIRO : Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio é celebrado nesta sexta-feira

sexta-feira, 10 de setembro de 2021

Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio é celebrado nesta sexta-feira

Na principal data da campanha do “Setembro Amarelo”, especialista fala sobre a importância de debater o tema



O Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio é celebrado nesta sexta-feira (10). A data que serviu como ponto de partida para a criação da campanha do “Setembro Amarelo” marca a importância da valorização da vida e sobre como a sociedade deve ter um olhar mais atento para as questões que envolvem a temática.

Promovida pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e Conselho Federal de Medicina, a campanha deste ano tem como tema "Agir salva vidas". A ideia é promover ações que possam ajudar a contribuir com a diminuição de índices de suicídio. De acordo com dados da ABP, por ano são registrados cerca de 12 mil casos no Brasil.

Segundo o coordenador do curso de Psicologia da Faculdade UNINASSAU Petrolina, Mizael Neto, vários aspectos podem conduzir a um comportamento suicida. “São fatores diversos que podem levar a essa situação. Fatores como transtornos mentais pré-existentes, por exemplo, a pessoa está em depressão grave, com transtorno bipolar, alguns adoecimentos prévios que podem ser disparadores. Crises sociais que a pessoa não consegue dar conta, o fato de algum familiar já ter tentado ou cometido o suicídio também pode ser um fator desencadeante, como se fosse um modelo de imitação. Mas cada indivíduo é um caso específico”, explica Mizael.

O psicólogo destaca que comportamentos como presença de automutilação, pessoas que repentinamente começam a se despedir daqueles que convivem são alguns dos sinais que podem indicar que o indivíduo está precisando de ajuda. O especialista também faz um sério alerta: “Outra coisa importante é que no campo da saúde mental não pode existir aquele pensamento “ela tá querendo só chamar a tenção”. A pessoa está atraindo atenção para uma dor que existe nela e isso não pode ser ignorado. É importante não menosprezar esses sinais e acionar as redes de cuidado”, adverte.

Por ser um tema delicado, falar sobre suicídio foi visto por muitos anos como algo complexo. Tabu este que tem sido quebrado devido a necessidade de esclarecer os riscos e auxiliar pacientes e famílias que convivem com o problema. “A primeira coisa que a gente precisa fazer é desmistificar a ideia de que não pode falar sobre suicídio. É preciso ter essa clareza que é um tema que sempre existiu, possivelmente continuará existindo, e o que a gente tem que buscar é encontrar formas de minimizar seu impacto e prevenir. Falar com maturidade, falar sem menosprezar, ter todo cuidado para noticiar no que se refere ao caso dos veículos de comunicação. É preciso ser falado. A gente sabe que nem todo mundo sabe falar, por isso nesses casos é importante recorrer a um profissional que é capacitado”, destaca o professor.

Onde encontrar ajuda?

“Ao detectar pessoas com sinais, o ideal é se cuidar, para tentar prevenir. Temos uma gama de profissionais que trabalham com escuta, com esse momento de sofrimento. Na política pública pode acionar os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), acionar os dispositivos com profissionais de escuta que possam cuidar dessas pessoas que estão passando por esse momento”, orienta Mizael.

Em Petrolina, o Centro de Valorização da Vida (CVV) realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo de forma voluntária e gratuitamente todas as pessoas que desejam e precisam conversar. O atendimento ocorre sob total sigilo. O número de contato telefônico é o 188.


José Henrique da Silva Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por seu comentário.

COMPARTILHE